O processo de construção da rede de municípios potencialmente saudáveis

Capa:O processo de construção da rede de municípios potencialmente saudáveis

Autor(es): Ana Maria Girotti Sperandio (organizadora)


Resumo: Vol.I: Este livro introduz o tema da construção de políticas públicas que visem potencializar as ações intersetoriais sobre a saúde, educação, apoio social e ambiente. Miguel Malo Serrano aponta perspectivas para a construção de um novo paradigma focado na promoção da saúde, na construção coletiva do conhecimento e no reconhecimento de práticas sociais que ultrapassam o poder do estado. Lenira Zancan introduz o tema da intersetorialidade como modelo de gestão, evidenciando a importância do fortalecimento do capital social, da participação da população e da constituição de novos espaços institucionalizados de discussão e pactuação de ações. Eduardo Mestre Rodrigues e Adriano Peres Lora explicitam e refletem sobre as experiências das práticas desenvolvidas na cidade de Pedreira, focadas na abordagem intersetorial. Vol. II: Esta publicação concentra o desenvolvimento de idéias e exemplos sobre o impacto da abordagem intersetorial na estruturação de políticas públicas. Armando de Negri Filho explora o aspecto da transetorialidade como modo de gestão eficaz para responder às demandas por saúde e educação dos municípios. Maria Adélia Aparecida de Souza defende a importância do território como categoria de análise social e as estratégias para o planejamento das ações e políticas públicas. Márcia Cristina Krempel e colaboradores relatam as estratégias de articulação intersetorial e de mobilização comunitária baseados em experiências aplicadas na cidade de Curitiba. Vol. III: O texto deste livro aprofunda a discussão da mobilização e participação social para a construção da Rede de Municípios Potencialmente Saudáveis. Israel Rocha Brandão apresenta os modos possíveis de compreendermos e desencadearmos a mobilização social deixando viva a marca da sua experiência prática nos espaços do Ceará. Dais Rocha e col. de Goiânia-GO, relatam a experiência sobre o desenvolvimento do Programa FelizCidade, considerando os eixos da intersetorialidade e da participação social. Já Augusto Mathias, traz a experiência da mobilização e participação social no processo de re-elaboração das políticas públicas na cidade de Toronto do Canadá.


Palavras-Chave: Saúde pública; Medicina preventiva; Promoção da saúde