Consultar: Faculdade de Educação - FE

Título [Principal]: A Imagem e Semelhança : um estudo sobre a imagem da crinaça nas pinturas de Eliseu Visconti, Vicente do Rego Monteiro, Tarsila do Amaral e Lasar Segall
Título [Outro Idioma]: Image and Likeness : a study on child's image in the paintings by Eliseu Viscont, Vicente do Rego Monteiro, Tarsila do Amaral and Lasar Segall
Autor(es): Magali dos Reis
Palavras-chave [PT]:

Infancia , Arte , Educação , Crianças , Imagem
Palavras-chave [EN]:
Childhood , Art , Education , Children , Image,
Área de concentração: Educação, Sociedade, Política e Cultura
Titulação: Doutor em Educação
Banca:
Elisa Angotti Kossovitch [Orientador]
Celso Fernando Favaretto
Ana Angelica Moreira Albano
Marcos Tognon
Ana Luiza Bustamante Smolka
Resumo:
Resumo: O estudo analisa a imagem da criança nas pinturas de Eliseu Visconti, Vicente do Rego Monteiro, Tarsila do Amaral e Lasar Segall. Compreende o período de 1890-1940 (aproximadamente), cujo eixo de problematização está na emergência de um movimento político, artístico e cultural. O período registra uma profunda mudança não só no papel social da criança, como também de sua representação nas artes plásticas, na literatura, na educação e no imaginário social. A arte sugere um ensaio de modulação da afeccionalidade social sobre a infância, o que permite trabalhar com aspectos ainda pouco explorados, no que diz respeito à imagem de crianças. Na pintura crianças tornam-se anjos, meninas enlaçam-se e enlaçam a composição da obra, corpos repousam sobre lençóis, meninos transfiguram a inquietude da puerícia. As paisagens são permeadas pelos enigmas da infância. As imagens da criança não são retratos de uma certa infância, o que faz a sua força é que elas são imagens políticas e inseparavelmente imagens de um inconsciente social, e sob esta ótica, são registros de corpos sempre falados, descritos e analisados por adultos, não tendo voz própria, sobre as formas como vêm sendo interpretados, expressos, percebidos. A orientação desta pesquisa caminhou no sentido de evitar proceder a uma simples e arbitrária “leitura” ou descrição das imagens, rejeitando procurar nelas uma possível intencionalidade do artista em representar uma idéia pré-estabelecida de infância, e mais ainda foi preciso refutar a idéia de que a imagem ‘reflete’ a vida do artista e suas experiências. A produção de uma pintura cujo tema seja a criança, não significa que se possa depreender dela uma visão de infância “possível” daquele momento histórico social. Daí a necessidade de recorrer a história da arte e, sobretudo, encontrar uma metodologia de estudos adequada à compreensão da infância que a arte torna visível.

Abstract: This study analyses the image of children in the paintings of Eliseu Visconti, Vicente do Rego Monteiro, Tarsila do Amaral, and Lasar Segall. It encompasses the period of approximately 1890 to 1940, whose central line of problematics is the emergence of a political, artistic, and cultural movement. That period registers a profound change, not only in the social role of children, but also of their representation in the plastic arts, in literature, in education, and in social imagery. Art insinuates a test of modulation of social affectionateness on infancy, which permits that lesser explored aspects may be treated in regard to the image of children. Children in paintings become angels, little girls entwine themselves and become part of the composition of the painting, bodies lie on sheets, little boys transfigure the turbulence of childhood. Landscapes are permeated with the enigmas of infancy. Children’s images are not portrayed with a defined infancy. What gives them strength is that they are political images, and images that are inseparable from social unconsciousness. It is through this perspective that they are records of bodies that are always talked about, and described and analyzed by adults, without manifesting through their own voices in regard to the forms that are being interpreted, expressed, and perceived. The orientation of this research advanced in the direction of avoiding a simple and arbitrary reading or description of the images, thereby rejecting the possibility of looking for any intention by the artist of presenting a pre-established idea of infancy. Even more so, it was necessary to refute the idea that an image reflects the life of the artist and his experience. The production of a painting whose theme is a child does not signify that it may infer the vision of a possible infancy at that historical social moment. Therefore, there is a need to resort to the history of art, and above all, find an adequate methodology of study for the comprehension of infancy that is made visible through art.
Data de Defesa: 29-08-2007
Código: vtls000419768
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 2007
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Elisa Angotti Kossovitch
Instituição: Universidade Estadual de Campinas . Faculdade de Educação
Nível: Tese (doutorado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Educação

Dono: admin
Criado: 11-02-2008 18:42
Visitas: 5463
Downloads: 119

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
tese magali reis.pdfDocumento PDF9043 Kb(9259963 bytes)4 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download