Consultar: Instituto de Biologia - IB

Título [Principal]: Injeção transendocardica de celulas mononucleares autologas de medula ossea em isquemia cardiaca : relato anatomopatologico e imunohistoquimico post-mortem
Título [Outro Idioma]: Transendocardial autologous bone marrow mononuclear cell injection in ischemic heart failure : Postmortem anatomicopathologic and immunohistochemical findings
Autor(es): Isabella Mariana de Assis
Palavras-chave [PT]:

Celulas-Tronco , Neovascularização , Isquemia
Palavras-chave [EN]:
Stem cells , Neovascularization , Ischemia
Área de concentração: Biologia Celular
Titulação: Mestre em Biologia Celular e Estrutural
Banca:
Radovan Borojevic [Orientador]
Mario Mariano
Edson Rosa Pimentel
Resumo:
Resumo: Terapias celulares para o tratamento de doença isquêmica cardíaca estão atualmente sob investigação. Foram anteriormente publicados pelo nosso grupo os resultados de ensaio clínico na fase I, onde células autólogas mononucleares da medula óssea foram injetadas por via transendocárdica em pacientes com doença cardíaca isquêmica terminal. O estudo atual reporta os achados anatomopatológicos do estudo post-mortem de um dos pacientes tratados, que morreu 11 meses após a terapia celular objetivando verificar a presença de neovascularização nas zonas tratadas assim como descrever a possibilidade de ter havido transdiferenciação de populações celulares. Trata-se de estudo necroscópico de paciente de 55 anos com cardiomiopatia isquêmica, com defeito parcial reversível na parede anterolateral e defeito fixo (cicatriz) na parede posterior, pertencente à classe funcional III (NYHA ? New York Heart Association) e angina classe III (CCS ? Canadian Cardiovascular Society). O paciente recebeu um total de 30 milhões de células mononucleares da medula óssea colhidas 2 horas antes da injeção, obtidas através de punção óssea. As células foram injetadas por via transendocárdica na parede anterolateral do ventrículo esquerdo com o auxílio de mapeamento eletromecânico. Fragmentos das paredes ventriculares, anterolateral (a que recebeu a terapia celular), septal (septo interventricular, a qual tinha perfusão normal e que não recebeu terapia celular) e a inferoposterior (a qual tinha cicatriz extensa e sem terapia celular) foram retiradas durante a necropsia e processados em parafina e congeladas. Anticorpos foram utilizados contra fator VIII para células endoteliais, actina ? de músculo liso para pericitos, troponina T, actina ? sarcomérica e actinina ? sarcomérica e desmina para identificação de cardiomiócitos. Estudo histomorfométrico da densidade capilar nas diferentes paredes ventriculares e da densidade de capilares contendo pericitos foi realizado, assim como foi quantificado o número de capilares/mm2 das paredes anterolateral e posterior, dados estes submetidos a testes estatísticos. Nossos resultados demonstraram não haver crescimento excessivo de nenhuma população celular, havendo aumento significativo da densidade de capilares com e sem pericitos na parede anterolateral. Nas zonas de cicatrizes comparando-se a parede anterolateral com a posterior foi verificado também haver aumento significativo do número de capilares. Nesta mesma parede houve uma hiperplasia dos pericitos, algumas destas células adquiriram elementos do citoesqueleto e proteínas contráteis (desmina e troponina). Em conclusão, nosso estudo demonstrou que o procedimento utilizado é seguro e que leva ao aumento da densidade capilar, hiperplasia pericitária com provável transdiferenciação de pericitos em cardiomiócitos

Abstract: Cell-based therapies for treating ischemic heart disease are currently under investigation. We previously reported the results of a human phase I trial of transendocardial injection of autologous mononuclear bone marrow cells in patients with end-stage ischemic heart disease. The current report focuses on post mortem cardiac findings from one of the treated patients, who died 11 months after cell therapy in order to verify modifications on cardiac structure produced by the procedure. The heart of study was obtained on necropsy of a 55 years old patient suffering of an ischemic cardiomiopathy with a reversible partial defect on anterolateral ventricular wall (scar), a fixed one in the posterior wall. At enrollment, he was in New York Heart Association (NYHA) functional class III and Canadian Cardiovascular Society (CCS) angina class III. Patient was treated with 30 millions bone marrow mononuclear cells collected 2 hours and injected transendocardially with the guidance of electromechanical mapping, into the anterolateral wall of the left ventricle. Fragments of ventricular wall, anterolateral, septal (interventricular) and posterior walls were collected for histology and frozen. Immunohistological detection of endothelial and pericytic population allowed the quantification of capillaries and pericytic containing capillaries in anterolateral, septal and posterior walls (surface density). The amount of capillaries present in fibrotic zones of anterolateral and posterior walls were also quantified. No signs of adverse events were found in the cell-injected areas. Capillary density was significantly higher (P<0.0001) in the anterolateral wall than in the previously infarcted tissue in the posterior wall. The increased vascularity of the anterolateral wall was associated with hyperplasia of pericytes, mural cells, and adventitia. Some of these cells had acquired cytoskeletal elements and contractile proteins (troponin, sarcomeric ?-actin, actinin). In conclusion, our morphological and immunocytochemical analysis of the area that received autologous bone marrow cell injections showed no abnormal cell growth or tissue lesions, thereby suggesting the safety of transendocardial cell injections. The treated areas had a heightened capillary density. Pericyte hyperplasia and pericytes with cytoskeletons and early cardiomyocyte morphology were seen only at injected sites
Data de Defesa: 04-11-2005
Código: vtls000376590
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 2005
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Radovan Borojevic
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Biologia
Nível: Dissertação (mestrado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Estrutural

Dono: admin
Criado: 10-04-2006 08:52
Visitas: 2426
Downloads: 53

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Assis, Isabella Mariana de.pdfDocumento PDF8339 Kb(8539134 bytes)4 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download