Consultar: Faculdade de Ciências Médicas - FCM

Título [Principal]: Presença de 20% ou mais de clue cells como um criterio diagnostico de vaginose bacteriana em esfregaços de Papanicolaou
Autor(es): Michelle Garcia Discacciati de Carvalho
Palavras-chave [PT]:

Esfregaço vaginal , Variabilidade , Vaginite bacteriana
Área de concentração: Ciencias Biomedicas
Titulação: Mestre em Tocoginecologia
Banca:
Jose Antonio Simões [Orientador]
Resumo:
Resumo: Objetivo: Avaliar a acurácia da presença de pelo menos 20% de clue cells nos esfregaços de Papanicolaou para o diagnóstico de vaginose bateriana (VB), avaliar a reprodutibilidade interobservador deste critério padronizado e comparar a acurácia das amostras cervicais e vaginais para este diagnóstico. Métodos: Foi realizado um estudo de validação de teste diagnóstico envolvendo 135 mulheres em idade reprodutiva atendidas no ambulatório de Planejamento Familiar da Universidade Estadual de Campinas. As mulheres foram submetidas a um exame ginecológico, no qual foram coletadas amostras cervicais e do fundo de saco vaginal para o exame de Papanicolaou, e também amostras do fundo de saco vaginal para realização do exame bacterioscópico corado pelo método de Gram e a para o exame a fresco. Avaliaram-se também os quatro critérios clínicos de Amsel para diagnóstico de VB. As lâminas de Gram foram analisadas utilizando os critérios bacterioscópicos de Nugent, método considerado padrão-ouro, no qual uma pontuação ? 7 foi considerada positiva para VB. Nos esfregaços de Papanicolaou a presença de 20% ou mais de clue cells foi considerada positiva para VB, sendo este critério avaliado por dois observadores de laboratórios diferentes. Resultados: A freqüência de VB foi de 22% quando diagnosticada pelo método de Nugent, 24% pelo método de Papanicolaou e 29% pelos critérios de Amsel. O exame de Papanicolaou para o diagnóstico de VB utilizando como o critério a presença de pelo menos 20% de clue cells nos esfregaços, apresentou sensibilidade de 87%, especificidade de 94%, valor preditivo positivo de 81% e valor preditivo negativo de 96%. Este critério resultou em uma excelente concordância entre as amostras cervicais e vaginais (Kappa: 0,92) e também em uma excelente concordância entre os dois observadores (Kappa: 0,87). Conclusão: A presença de 20% ou mais de clue cells nos esfregaços de Papanicolaou é um critério acurado e reprodutível para o diagnóstico de VB, podendo ser utilizado para o diagnóstico presuntivo desta infecção sem a necessidade de coleta adicional de amostra vaginal

Abstract: Objective: To evaluate the accuracy of the presence of at least 20 % of clue cells to diagnose bacterial vaginosis (BV) in Pap-smear, to asses the reproducibility of this criterion for the diagnosis of BV between different observers and to compare the accuracy of samples collected from cervical and vaginal sites to perform the diagnosis of BV. Methods: This is a diagnostic test validation study of 135 women of reproductive age attending at the Family Planning Out-patient Clinic of the Universidade Estadual de Campinas. A pelvic examination was performed to collect samples from cervical and vaginal sites for Pap-smear. Swabs were also collected for Gram?s stain and wet mount. Amsel?s criteria were also used for the presence of BV. The Gram stained slides were evaluated and graded for the presence of BV using Nugent?s criteria. A score ? 7 was defined as BV and considered as gold standard. The presence of ? 20% of clue cells in Pap-smears was defined as positive for BV. These Pap-smears were analysed by two cytologists from different laboratories. Results: The frequency of BV was 22% by Nugent?s criteria, 29% by Amsel?s criteria and 24% by Pap-smear criterion. The use of the presence of at least 20% of clue cells in the Pap-smear for the diagnosis of BV showed a sensitivity of 87%, specificity of 94%, positive predictive value of 81% and negative predictive value of 96%. The concordance among the cervical and vaginal samples for the diagnosis of BV by Pap-smear was excellent (Kappa: 0.92). In addition, the concordance between the observers for diagnosis of BV by Pap-smear was also excellent (Kappa: 0.87). Conclusion: Our findings support the accuracy and reproducibility of Pap-smear for presumptive diagnosis of BV using the presence of 20% of clue cells as a diagnosis criterion. Furthermore, the results suggest that the screening of BV by Pap´s can be made without an additional vaginal sample collection
Data de Defesa: 11-07-2005
Código: vtls000366465
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 2005
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Jose Antonio Simões
Instituição: Universidade Estadual de Campinas . Faculdade de Ciencias Medicas
Nível: Dissertação (mestrado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Tocoginecologia

Dono: admin
Criado: 14-02-2006 16:26
Visitas: 10426
Downloads: 235

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Carvalho, Michelle Garcia Discacciati de.pdfDocumento PDF162 Kb(166075 bytes)1 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download