Consultar: Faculdade de Ciências Médicas - FCM

Título [Principal]: Uso frequente de alcool maconha e cocaina entre pacientes esquizofrenicos : estudo caso-controle
Autor(es): Marilia Montoya Boscolo
Palavras-chave [PT]:

Drogas , Esquizofrenia , Psicopatologia , Qualidade de vida
Área de concentração: Saude Mental
Titulação: Doutor em Ciências Médicas
Banca:
Paulo Dalgalarrondo [Orientador]
Resumo:
Resumo: o objetivo deste trabalho é estudar o fenômeno do uso de Substâncias Psicoativas_SPA(álcool maconha e cocaína) na esquizoftenia. Trata-se de estudo comparativo, casocontrole, de dois grupos de pacientes esquizoftênicos pareados por sexo e idade, que preencheram os critérios diagnósticos do DSMIV para esquizoftenia. O grupo caso é definido por pacientes esquizoftênicos que têm história de uso fteqüente de álcool na vida e no último mês e/ ou história de uso fteqüente de maconha e/ou cocaína na vida. O grupo controle é definido por pacientes esquizoftênicos sem esse antecedente de uso de álcool e/ou maconha e/ou cocaína. Este estudo é um aprofundamento da pesquisa de mestrado da autora. A amostra foi composta por 63 pacientes por grupo, internados no Instituto Américo Bairral no município de Itapira - SP, internados na enfermaria ou acompanhados no ambulatório de Psiquiatria do HC-UNICAMP ou matriculados no CAPS Integração (Centro de Atenção Psicossocial) da Prefeitura Municipal da cidade de Campinas-SP. Foram estudadas variáveis demográficas, histórico psiquiátrico, psicopatologia (Escala P ANSS e GAS), . funcionamento familiar (GARF), tratamento farmacológico, sintomas extrapiramidais (ESRS), qualidade de vida (QLS) e impressão subjetiva do paciente em relação à medicação (DAI-3D e SSAS), ao álcoo_ maconha e cocaína (SSAS). Para a análise descritiva utilizou-se medidas de posição e dispersão para variáveis contínuas e tabelas de fTeqüência para variáveis categóricas. Para comparar proporções foi utilizado o teste Qui-quadrado ou o teste Exato de Fisher, quando necessário. Para comparação de medidas contínuas ou ordenáveis entre os dois grupos foi utilizado o teste de Mann Whitney. Para identificar as variáveis que diferenciam os grupos foi utilizada a análise de regressão logística multivariada - modelo logito, com nível de significância de 5% Os resultados demostram que os pacientes esquizoftênicos que usam álcool e/ou maconha e/ou cocaína, têm tendência a melhor desempenho escolar, são mais ativos profissionalmente e têm mais capacidade para realizar atividades da vida diária. Eles têm mais sintomas positivos e menos sintomas negativos da esquizoftenia. No entanto, têm pior adaptação social, mais internações e fazem maior uso de tabaco. Estes pacientes, com o uso da medicação, sentem subjetivamente que "os efeitos ruins dos remédios estão sempre presentes" e que "não há diferença em tomar ou não a medicação_dá na mesma". Além disso, eles têm objetivamente mais sintomas extra piramidais e subjetivamente, piora dos sintomas negativos, com o uso da medicação. Neste estudo, os pacientes do grupo caso podem estar fazendo uso de álcool e/ou maconha e/ou cocaína, para aliviar os efeitos extrapiramidais da medicação antipsicótica. Este achado, reforça a teoria do modelo da automedicação, que postula que os pacientes esquizo:fTênicos fariam uso de álcool e/ou drogas para atenuar os efeitos extrapiramidais indesejáveis dos antipsicóticos. A relação subjetiva com o álcool parece ser percebida como favorecedora de melhor interação social, bem como com a maconha. Essa última, no entanto, piora os sintomas negativos e acentua a sensação de pensamento confuso. A cocaína parece produzir subjetivamente mais alegria e maior capacidade de atenção; mas por outro lado, os pacientes sentem-se subjetivamente mais hostis, mais tensos, com mais sintomas positivos e negativos da esquizo&enia. A análise multivariada distinguiu os grupos caso e controle nas seguintes variáveis: os pacientes do grupo caso, quando comparados aos pacientes do grupo controle, são mais ativos laboralmente, tem mais antecedentes de uso de álcool na família e melhor estimativa global da inteligência. Eles têm menos sintomas negativos, menos esquiva social, menos maneirismos, no entanto, mais grandiosidade e mais falta de cooperação. A qualidade de vida demonstra mais relacionamentos interpessoais, no entanto, menos consistência intrapsíquica. Eles têm, subjetivamente mais sintomas negativos com o uso da medicação e mais sintomas extrapiramidais. Um achado paradoxal neste estudo é que os pacientes esquizo&ênicos que usam SP A apesar de terem potencialmente uma apresentação menos grave da esquizo&enia com melhor funcionamento cognitivo, por algum motivo têm pior evolução fazendo uso de álcool e/ou maconha e/ou cocaína

Abstract: The aim of this investigation was to evaluate Substance misuse (alcohol, marijuana and cocaine) in schizophrenia through a comparative; case-control study of two groups of age and sex matched schizophrenics who fulfilled the DSMIV and ICD-IO criteria for schizophrenia. The case group consisted of individuais with a previous lifetime history of ftequent alcohol use and use in the past month, and a lifetime history of drug use (marijuana and/ or cocaine) and use in the past year. The control group had no such history of alcohol and/or marijuana and/or cocaine. The subjects (63 patients per group) were inpatients at Americo Bairral Institute in the municipality of Itapira - SP or university hospital psychiatric inpatients or outpatient at Unicamp or were registered at CAPS (psychosocial Treatment Center) in the municipality of Campinas. The parameters studied included demographic variables, psychiatric history, psychopathology (P ANSS and GAS), family functioning (GARF), pharmacological treatment, extrapyramidal symptoms (ESRS), quality of life (QLS) and subjective impression of medication (DAI-30 and SSAS), as well as alcohol and marijuana and' cocaine (SSAS). Data analysis was carried out using Statistical Analysis System (SAS) for Windows, version 8.2. In order to characterize both groups and identi:fy the parameters that distinguish them, the Chi-square Test, the Mann-Whitney Test or Fisher's Exact Test were used, as appropriate By using multivariable procedures to identi:fy the variables that potentially differentiate the two groups, logistic regression (logito model) procedures was used. Significance leveI was 5%. Schizophrenic patients who used alcohol and drugs had tendency for better previous school performance, better global intelligence estimate, professionally more actives and showed better skills in everyday activities. They have fewer negative symptoms. But showed poor social adaptation with greater number of hospitalizations and greater use of tobacco than did schizophrenics who do not use alcohol and drugs. The patients subjectively reported felling like " the bad things about medication are presents ali the time" and " there is no difference on taking medication or not- it is the same". Objectively, they had more extra pyramidal side effects and worsen negative symptoms under medication. They showed more fi-equent family histories of alcohol and drug abuse.in this study, these patients may be using alcohol and drugs to alleviate the extrapiramidal side effects of the antipsychotic medication. This finding reinforces the automedication model of schizophrenic patients alleviate the uncornfortable extrapyramidal symptoms caused by antipsychotics agents, using a1cohol or drugs. The subjective relation to alcohol was perceived as a social facilitator to cope with social interactions and marijuana. However, marijuana worsened the positive symptoms and enhance good humor. Cocaine produced subjective happiness, more energy and more attention, although the patients felt more subjective hostility, tension and reported more varied positive symptoms. Multivariate analysis results showed distinction between groups: case group patients are more labor active, had more family history for alcohol problems in their families and better global intelligence estimated, compared to control group. They also had less negative symptoms, less social withdrawal, less manneirism, although they have more grandiosity and they are less cooperative. The quality of tife presents more interpersonal relationships, but, less objects and common activities. They have more negative symptoms and objectively more extrapyramidal medication side effects. There is a paradoxal finding in this study, where schizophrenic patients, despite their less severe schizophrenia and better cognitive functioning, for any reason they had worsened prognosis using alcohol and/or marijuana and/or cocaine
Data de Defesa: 26-08-2004
Código: vtls000341365
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 2004
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Paulo Dalgolarrondo
Instituição: Universidade Estadual de Campinas . Faculdade de Ciências Médicas
Nível: Tese (doutorado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas

Dono: admin
Criado: 27-02-2007 12:31
Visitas: 3921
Downloads: 199

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Boscolo, Marilia Montoya.pdfDocumento PDF8282 Kb(8481127 bytes)4 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download