Consultar: Instituto de Estudos da Linguagem - IEL

Título [Principal]: A leitura e compreensão da anafora conceitual
Autor(es): Adriana da Silva
Palavras-chave [PT]:

Conceitos, Coerencia , Cognição , Psicolingüistica , Coesão (Lingüistica) ,
Titulação: Doutor em Linguistica
Banca:
Edson Françozo [Orientador]
Resumo:
Resumo: Apresentamos um estudo sobre a leitura e compreensão da anáfora conceitual (AC) representada por um Pro [+Pl] que remete a um antecedente textual nãocorreferencial, um SN ou N [-Pl]. Essa anáfora está relacionada ao seu antecedente conceitualmente e, para explicar isso, usamos a Teoria dos Frames, de BARSALOU (1992). Essa teoria nos permite explicar como os leitores relacionam, conceitualmente, dois itens lexicais (anáfora e antecedente) num texto, a partir de seus conhecimentos contextuais e de mundo. Testamos em alunos universitários a leitura das anáforas conceituais, realizando dois tipos de experimentos, um off-line e outro on-line. No primeiro, procuramos verificar se os sujeitos seriam capazes de identificar os referentes das anáforas e se reconheceriam a AC como gramaticalmente correta e coerente. No segundo, verificamos o tempo de leitura da AC e o comparamos com o da AP. Pretendíamos demonstrar que a AC exigiria um maior custo cognitivo do que a AP, assim, os leitores demorariam mais tempo para lê-la. Os experimentos off-line demonstraram que os sujeitos compreendem a AC. Apesar de, no teste on-line, não haver diferença significativa entre a leitura de AC e de AP, tudo leva a crer que os sujeitos usaram estratégias de leitura diferentes, pois alguns se baseiam na nãoconcordância entre a AC e seu antecedente, e outros não. Dessa forma, pode-se afirmar que a leitura é um processo dinâmico e que a influência do leitor nesse processo é extremamente relevante, pois pode utilizar estratégias diferenciadas para construir o sentido do texto.

Abstract: This work presents a research about reading and comprehension of conceptual anaphors (CA). These are anaphors that do not agree in number with their antecedents. So anaphors and antecedents have not the same reference. We use the Frames Theory (BARSALOU, 1992) to explain how people understand the relation between anaphors and antecedents in a text using their world knowledge and the context. In two experiments with subjects from a University, we investigate how people understand the conceptual anaphors. In the first experiment, subjects rated sentences containing conceptual anaphors to be linguistically correct and indicated the referente of these anaphors. In the second, we realized a self-paced test. We presented sentences which there were conceitual anaphors and others which antecedents and anaphors agreed each other. We expected that conceptual anaphors would be read more slower than the other anaphor. We found that subjects understand conceptual anaphors. The results showed that subjects used different skills to read the anaphors. Our conclusion is tat reading is a dynamic process and that readers have a important role in this process.
Data de Defesa: 30-08-2004
Código: vtls000324561
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 2004
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Edson Françozo
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Estudos da Linguagem
Nível: Tese (doutorado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Linguistica

Dono: admin
Criado: 01-12-2004 11:52
Visitas: 8422
Downloads: 1227

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Silva, Adriana da .pdfDocumento PDF321 Kb(328871 bytes)1 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download