Consultar: Faculdade de Ciências Médicas - FCM

Título [Principal]: Fatores associados as opções reprodutivas de mulheres vivendo com HIV
Autor(es): Andrea da Silveira Rossi
Palavras-chave [PT]:

Reprodução , AIDS (Doença) , AIDS (Doença) na gravidez , Comportamento humano , Gravidez , Anticoncepcionais ,
Área de concentração: Ciências Biomédicas
Titulação: Mestre em Tocoginecologia
Banca:
Eliana Amaral [Orientador]
Maria Yolanda Makuch [Co-orientador]
Resumo:
Resumo: Importantes avanços, principalmente em relação ao tratamento, têm possibilitado a diminuição da mortalidade, da morbidade, a redução da taxa de transmissão vertical e melhoria da qualidade e perspectiva de vida das pessoas que vivem com o vírus da imunodeficiência humana. A vontade de ter filhos está surgindo como uma escolha legítima, exigindo preparo das equipes de saúde, o que implica compreender as razões que determinam as diversas opções reprodutivas. O objetivo do estudo foi avaliar os possíveis fatores associados às opções reprodutivas das mulheres vivendo com o vírus da imunodeficiência humana. Foi realizado um estudo de corte transversal com mulheres infectadas por este vírus no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher, no Hospital das Clínicas e na Unidade de Pesquisa Clínica da Universidade Estadual de Campinas, entre outubro de 2001 e agosto de 2002. Os critérios de inclusão foram: ser soropositiva, ter idade entre 13 e 45 anos e iniciado atividade sexual. Foram comparados três grupos: grávidas que sabiam do diagnóstico de infecção antes da gestação atual, mulheres que haviam feito laqueadura após o diagnóstico do HIV e usuárias de método anticoncepcional reversível. Os dados foram analisados através do teste exato de Fisher e nálise multivariada de correspondência. A análise temática das respostas textuais foi feita para as questões abertas. Entre as 112 mulheres entrevistadas 23% eram gestantes, 18% estavam laqueadas e 59% usavam método anticoncepcional reversível. A menor idade esteve associada a uma opção reprodutiva que incluiu a possibilidade de ter filho, sendo mais freqüente nas gestantes e usuárias de método anticoncepcional reversível. O grupo com menor proporção de gestações, que manifestou mais vontade de ter filhos e que referiu menos orientação sobre a transmissão vertical do vírus, foi o das usuárias de método anticoncepcional reversível. A vontade de ter filhos do parceiro, referida pela mulher, associou-se a estar grávida ou laqueada. A condição clínica, tanto da mulher como de seu parceiro, assim como a condição sorológica do parceiro, a orientação dos profissionais de saúde a respeito da anticoncepção e o uso de preservativo não influenciaram as opções reprodutivas da mulher.

Abstract: Reduction in mortality, morbidity and maternal-infant transmission, as well better quality of life for people living with HIV, are important consequences determined by recent advances, especially new treatment regiments. Women’s reproductive desire arises as a new and genuine demand for counseling in health services. It is necessary for health care providers to understand reasons leading HIV infected women assume different reproductive practices. A cross sectional study with HIV+ women in CAISM/HC/UPC – UNICAMP, was developed from October/2001 to August/2002 to evaluate the factors associated with reproductive practices. Inclusion criteria were HIV positive women between 13 and 45 years old having previous sexual life. Three groups were compared: pregnant women who knew about their diagnosis before current pregnancy, sterilized women who made this option after serodiagnosis, and women using any other reversible contraceptive practice. Statistical analysis was performed through the exact Fisher’s test and multivariate correspondence analysis. Openended responses were categorized after coding. Among 112 women interviewed, 23% were pregnant, 18% were sterilized and 59% were using reversible contraceptive method. Being younger was associated with reproductive practices which keep the possibility of having a child. It was found that reversible contraceptive users got pregnant fewer times, had less information on maternal-infant transmission and more desire to have children compared to others. Partner’s desire was associated with pregnant and sterilized women. Neither clinical condition of the women and their partners, serologic status of the partner nor counseling about contraceptive choices influence different reproductive practices.
Data de Defesa: 09-05-2003
Código: vtls000293782
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 2003
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Eliana Amaral, Maria Yolanda Makuch
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Ciencias Medicas
Nível: Dissertação (mestrado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Tocoginecologia

Dono: admin
Criado: 27-07-2004 10:34
Visitas: 4779
Downloads: 457

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Rossi, Andrea da Silveira.pdfDocumento PDF205 Kb(210170 bytes)1 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download