com 193 diferentes tipos de medicamentos distribuídos em 57 classes (terceiro nível da ATC). A média dos medicamentos prescritos foi de 5,1 :f: 3,1 D.P. e 2,3 :f: 1,8 D.P Interações Medicamentosas Potenciais (IMP) por paciente (min. 1; máx. 12). Os pacientes que foram prescritos 5 ou mais medicamentos apresentaram maiores riscos do desenvolvimento das IMP (Razão de Prevalência = 4,6 e Odds Ratio = 8,9 [95% I.C 4,7 -17,3]) quando comparados com os pacientes prescritos menos de 5 medicamentos. Da mesma forma, os pacientes idosos (60 ou mais anos) apresentaram maiores riscos do desenvolvimento das IMP (Razão de Prevalência = 1,6 e Odds Ratio = 2,4 (95% tC 1,4 - 4,0]), quando comparados com os pacientes com menos de 60 anos. DISCUSSÃO - As IMP ocorrem com elevada freqüência em nível hospitalar (38,2%). Esta situação aumenta o risco do desenvolvimento de reações adversas clinicamente importantes. Entretanto, nem todos os pacientes apresentarão as IM a partir de sinais clínicos elou laboratoriais claramente identificáveis. Por isso, o método proposto permite identificar aqueles pacientes que apresentam os maiores riscos, apesar das limitações próprias do estudo, favorecendo, assim, uma intervenção e monitorização com maior eficiência pela equipe de saúde Abstract' xml:lang='pt'>

Consultar: Faculdade de Ciências Médicas - FCM

Título [Principal]: Interações medicamentosas potenciais em ambiente hospitalar
Autor(es): Murilo Freitas Dias
Palavras-chave [PT]:

Farmacologia , Medicamentos
Titulação: Mestre em Farmacologia
Banca:
Gun Birgitta Bergsten Mendes [Orientador]
Helenice Bosco de Oliveira
Seizi Oga
Resumo:
Resumo: INTRODUÇÃO - Um dos caminhos para prevenir interações medicamentosas (1M) é utilizar as informações disponíveis na literatura para promover a melhor abordagem clínica para cada paciente. Entretanto, a consulta da literatura não está sempre disponível, em especial a identificação das IM antes da dispensação dos medicamentos prescritos pela farmácia hospitalar. Esta pesquisa calculou a prevalência das interações medicamentosas potenciais (IMP) e associou as variáveis severidade das reações por IM e a qualidade da informação disponível sobre IMP para estabelecer um indicador numérico a fim de favorecer uma prioridade para a promoção de prevenções ou monitorização das IMP. MÉTODOS- Foi realizado um estudo transversal em um hospital terciário em Brasília-DF, de 200 leitos ativos, o Hospital das Forças Armadas, para calcular a prevalência das interações medicamentosas e propor uma alteração do método de classificação de IM de TATRO, a partir da proposição de uma escala de 1 até 6, onde 6 significa as reações que podem levar a ameaça a vida dos pacientes. Foram utilizados os softwares Epi Info 6.04b para as análises estatísticas e a base de dados Drug-reax da Micromedex para identificação e análise das IM. RESULTADOS- Entre407 pacientes intemados(40,8:f:24,6 D.P anos), 205 (50,4%) eram mulheres e 202 (49,6%) eram homens. A prevalência de pacientes com IMP foi de 38,2<'A> com 193 diferentes tipos de medicamentos distribuídos em 57 classes (terceiro nível da ATC). A média dos medicamentos prescritos foi de 5,1 :f: 3,1 D.P. e 2,3 :f: 1,8 D.P Interações Medicamentosas Potenciais (IMP) por paciente (min. 1; máx. 12). Os pacientes que foram prescritos 5 ou mais medicamentos apresentaram maiores riscos do desenvolvimento das IMP (Razão de Prevalência = 4,6 e Odds Ratio = 8,9 [95% I.C 4,7 -17,3]) quando comparados com os pacientes prescritos menos de 5 medicamentos. Da mesma forma, os pacientes idosos (60 ou mais anos) apresentaram maiores riscos do desenvolvimento das IMP (Razão de Prevalência = 1,6 e Odds Ratio = 2,4 (95% tC 1,4 - 4,0]), quando comparados com os pacientes com menos de 60 anos. DISCUSSÃO - As IMP ocorrem com elevada freqüência em nível hospitalar (38,2%). Esta situação aumenta o risco do desenvolvimento de reações adversas clinicamente importantes. Entretanto, nem todos os pacientes apresentarão as IM a partir de sinais clínicos elou laboratoriais claramente identificáveis. Por isso, o método proposto permite identificar aqueles pacientes que apresentam os maiores riscos, apesar das limitações próprias do estudo, favorecendo, assim, uma intervenção e monitorização com maior eficiência pela equipe de saúde

Abstract: BACKGROUND- One of the ways to prevent Adverse Drug Interaction (ADI) is to use the information available in literature to promote the best clínical approach for each in-patient. Nevertheless, it is not always possible to obtain on-line prevention or recommendation methods for ADI during medical prescription, especially by hospital pharmacy in developing countries. The present method associates ADI related variables such as severity of adverse reactions and quality of ADI documentation to prioritise more important in-patients in clinical terms. METHODS- A cross-sectionalstudywasdevelopedin a 200- bed Tertíary Hospital in Brasilia, Brazil, in order to calculate the prevalence of ADI and to present a new ADI classification method, based on alteration in TATRO's drug interaction classification method, introducing a new score from 1 to 6 for the analysis of severity and documentation quality per each interaction, 6 being the most potential life-threatening adverse reactions. Two softwares were used: Epi Info 6.04b for statistic analyses, and Micromedex's Drug-reax for potential ADI database. RESULTS - Among 407 in-patients (average age 40.8 :t 24.6 S.D.), 205 (50.4%) were female and 202 (49.6%) were male. Considering ali in-patients presenting ADI (38.2% out of the total), 193 different types of medicines of 57 therapeutic classes (ATC) were prescribed 5.1 :t 3.1 S.D. mean medicine/inpatient and 2.3 :t 1.8 S.D ADllin-patient (1 - 12). The in-patients with 5 or more medicines prescribed were at the highest risk level for ADI (prevalence rate = 4.6 and odds ratio = 8.9 [95% C14.7 -17.3]), in comparison with in-patients with less than 5 medicines prescribed. In the other hand, the in-patients at 60 or more years of age at the were highest risk levei for ADI (prevalence rate = 1.6 and Qddsratio = 2.4 [95% C11.4 - 4.0]), in comparison with in-patients with less than 60 years of age. DISCUSSION - Potential Adverse Drug Interactions have been occurring very frequently (38.2 % of all patients) in the hospital environment. This situation increases the risk of adverse drug reaction for inpatients. However, not ali patients will present clear1yidentifiable ADI clinical or laboratorial reactions. This method, in spite of its limitations, enabled the identification of common features among patients, thus selecting the population with the highest tendencies for developing ADls and leadíng to a more efficient and intensive drug monitoring
Data de Defesa: 21-06-2001
Código: vtls000266063
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 2001
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Gun Birgitta Bergsten Mendes
Instituição: Universidade Estadual de Campinas . Faculdade de Ciências Médicas
Nível: Dissertação (mestrado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Farmacologia

Dono: admin
Criado: 05-03-2008 08:28
Visitas: 2635
Downloads: 210

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Dias, Murilo Freitas.pdfDocumento PDF33491 Kb(34295209 bytes)14 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download