Consultar: Faculdade de Ciências Médicas - FCM

Título [Principal]: Transtorno hipercinetico : um estudo de prevalencia e fatores associados, em meninos que frequentam, pela primeira vez, o primeiro ano do ensino fundamental em escola publica de Belo Horizonte
Autor(es): Claudia Regina Faria Felicissimo
Palavras-chave [PT]:

Saude mental , Eletroencefalografia , Neuropsicologia
Titulação: Doutor em Medicina
Banca:
Lidia Straus [Orientador]
Resumo:
Resumo: O TH é um problema neurocomportamental comum, que afeta 5 a 10% das crianças e adolescentes, persistindo na vida adulta em 30-50% dos casos. Meta não só a conduta emocional e a adaptação social da criança, como também o seu rendimento escolar, mesmo que ela apresente um nível satisfatório de inteligência. Sua etiologia, apesar das inúmeras investigações, ainda continua sendo uma incógnita. Neste estudo, objetivou-se detectar a prevalência do TH, em meninos escolares, e a associação desse transtorno com algumas características psicossócio-educacionais dos pais e com o desempenho dos meninos nas avaliações neurológicas, psicométricas e educacionais. Objetivou-se, também, obter o conhecimento das possíveis características do traçado eletroencefalográfico, específicas dos portadores do TH. Método: estudo do tipo transversal com componentes descritivos e analíticos. A amostra foi constituída por 138 meninos escolares com idade média de sete anos e oito meses, que foram submetidos à avaliação psicométrica -WISC-, neurológica ENE-, comportamental - Cid-l O, critérios clínicos e de pesquisa, - e educacional - alfabetização. Realizou-se EEG quantitativo nos meninos que foram diagnosticados pelo critério clínico - 18 - e, também, nos meninos considerados normais - nove. Os pais foram caracterizados quanto à escolaridade, renda familiar, residência e vitalidade. O responsável pela criaçã~ do menino respondeu um questionário de avaliação de morbidade psiquiátrica QMP A. Aplicou-se o teste do qui-quadrado e o da regressão logística. Resultados: a prevalência detectada, segundo o critério clínico, foi 13%; segundo o critério de pesquisa, foi 4,3%. O desempenho nas provas de persistência motora e equilíbrio estático do exame neurológico evolutivo despontam como fatores fortemente associados à prevalência do TH assim como o baixo nível de instrução da mãe. A prevalência de suspeita de morbidade psiquiátrica no responsável pela criação do menino foi 56,5% e não revelou qualquer associação com o transtorno. A alteração letroencefalográfica mais comum - 41% - foi o aumento de ondas teta, associada ao aumento de ondas beta e somente 26% dos meninos apresentaram EEG normal. Não houve diferença significativa entre o EEG dos meninos com o TH e o dos controles. Conclusões: a grande maioria dos meninos do estudo apresentou um baixo desempenho no exame neurológico evolutivo e nas provas do WISC. A maioria, também, não estava alfabetizada ao final do ano letivo. Os meninos manifestaram comportamentos de desatenção, hiperatividade e impulsividade em maior proporção em sala de aula. Bom desempenho nas provas de coordenação apendicular e de sensibilidade e gnosia do ENE e nos subtestes números e código do WISC facilitam a alfabetização. O TH diagnosticado pelo critério clínico estava associado à não-freqüência à pré-escola e à não-alfabetização ao final do primeiro ano de escolaridade. Há necessidade de maior estimulação em nível de pré-escola. Não houve associação do TH com desempenho insuficiente no WISC. O traçado EEG não mostrou anormalidades qu'e pudessem ser consideradas específicas do TH. A saúde a a educação poderiam atuar preventivamente

Abstract: HD is a common neurobehavioral problem atTecting 5-10% of children and adolescents, and persisting in adulthood in 30-50% of the cases. It atTects not only emotional behavior and social adaptation of children, but also their school performance, even when they present a satisfactory intelligence leveI. Its etiology, despite many investigations, is still unknown. This study was designed to detect prevalence of HD in school boys, association of this disorder with some psychological, social and educational characteristics of the parents, and with their performance in neurological, psychometric and educational assessments. It also aimed at understanding the possible electroencephalographic characteristics specific to HD. Method: a cross-sectional study with descriptive and analytical components. The sample consisted of 138 school boys, mean age of seven years and eight months, submitted to psychometric (WISC), neurological (ENE), behavioral (ICD-I0), clinical and research criteria, and educational (reading and writing skills) assessment. Quantitative EEG was conducted in boys diagnosed by clínical criterion (18), and in some boys considered normal (9). The parents were characterized according to schooling, family income, housing conditions and health status. The person responsible for bringing up the child answered a psychiatric morbidity assessment questionnaire (QMP A). Logistic regression and chi-square test were applied. ResuIts: prevalence detected, according to clinical and research criteria, was 13% and 4.3%, respectively. Performance in motor persistence and static equilibrium tests of the developmental neurolQgical examination (ENE) appear as factors strongly' associated to prevalence of HD, and tp low schooling leveI of the mother. Prevalence of the diagnostic hypothesis psychlatric morbidity for the person responsible for bringing up the boy was 56.5% and did not demonstrate any association with the disorder. The most ftequent electroencephalographic alteration (41 %) was increase in theta waves, together with increase in beta waves. Only 26% of the boys had a normal EEG. There was no significant ditTerence in EEG between HD and control group. Conclusions: the great majority of the subjects presented, low performance leveI in the developmental neurological examination and in WISC tests. Most of the boys were still illiterate by the end of the school year. The students demonstrated the following behaviors in greater proportion at classroom: inattention, hyperactivity and impulsiveness. Good perfonpance in apendicular coordination tests and sensitiveness and gnosia tests ftom ENE, and in numbers and code ITom WISC helped with reading and writing skills. HD diagnosed by clinical criterion was associated to non-attendance to preschool and to illiteracy by the end of the first school year. There is a need for greater preschool encouragement. There was no association of HD with insufficient performance in WISC. The EEG tracing did not show abnormalities that could be considefed specific to HD. Health and education should be consideted as preventive actions
Data de Defesa: 1999
Código: vtls000224318
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 1999
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Lidia Straus
Instituição: Universidade Estadual de Campinas . Faculdade de Ciências Médicas
Nível: Tese (doutorado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Medicina

Dono: admin
Criado: 24-10-2008 10:45
Visitas: 4893
Downloads: 76

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Felicissimo, Claudia Regina Faria.pdfDocumento PDF6336 Kb(6488405 bytes)3 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download