Consultar: Instituto de Biologia - IB

Título [Principal]: Aspectos imunologicos e histolologicos de baços de camundongos com coronavirus
Autor(es): Edson Delgado Rodrigues
Palavras-chave [PT]:

Imunologia , Infecção , Virus
Área de concentração: Imunologia
Titulação: Mestre em Genética e Biologia Molecular
Banca:
Paulo Maria Ferreira de Araujo [Orientador]
Irineu Jose B. de Camargo
Wirla Maria de S. C. Tamashiro
Resumo:
Resumo: A presença de coronavírus do tipo MHV foi associado à cepas Y de T. cruzi usualmente empregadas em modelos experimentais da Doença de Chagas, sugerindo que as observações imunohistológicas desenvolvidas nos animais são decorrentes da infecção concomitante do protozoário com o vírus (Exp. Parasitol. 78:429-431, 1994). Neste trabalho camundongos foram submetidos à infecção pelo coronavírus, visando o estudo da ativação de lintõcitos B esplênicos e das possíveis alterações histológicas nesse órgão. Camundongos CBNJ obtidos de colônias "SPF" (CEMIB-UNICAMP) foram inoculados intraperitonealmente com uma dose da suspensão viral, determinada através de uma estimativa de DLs() . Nos dias 3, 7, 11 e 15 pós-infecção, os camundongos foram sangrados para a obtenção de soros e sacrificados a seguir. Os baços isolados foram pesados e preparadas suspensões celulares que foram utilizadas nos ensaios de PFC-reverso, visando a determinação do número de células secretoras de imunoglobulinas No mesmo período, cortes histológicos corados com Hematoxilina­ Eosina foram utilizados para a pesquisa de alterações na estrutura interna do órgão. Nesta cinética de estudo pôde-se observar que entre os dias 7 e 11 pós-infecção houve um aumento no peso dos baços infectados (2 a 3 vezes superiores aos controles) associado com um aumento de 7 a 8 vezes no número de células secretoras de imunoglobulinas totais (PFC com anti-IgTotal) e de 5-6 vezes no número de células secretoras de imunoglobulinas da classe IgM (PFC com anti-lgM). Não foram detectados anticorpos específicos anti-MHV nos soros de quaisquer destes animais durante o período de observação. Alterações histológicas foram observadas nas preparações de animais infectados, caracterizadas por uma leve desestruturação nas áreas de polpa branca e polpa vermelha, quando comparadas com aquelas de baços normais. A alteração no perfil de linfócitos B esplênicos de camundongos infectados com o coronavírus caracterizada pelo aumento no número de células secretoras de imunglobulinas, está possivelment( associada à um processo de ativação policlonal. Assim, urna infecção sub-clínica dessa estirpe vira associada com outros patógenos poderá alterar substancialmente a resposta imune de animai desenvolvendo diferentes patologias.
Data de Defesa: 18-08-1997
Código: vtls000189624
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 1997
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Paulo Maria Ferreira de Araujo
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Biologia
Nível: Dissertação (mestrado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Genética e Biologia Molecular

Dono: admin
Criado: 10-04-2007 08:41
Visitas: 2336
Downloads: 24

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Rodrigues, Edson Delgado.pdfDocumento PDF3772 Kb(3862798 bytes)2 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download