Consultar: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH

Título [Principal]: O verão, o universo e o inverso : sobre o modo de vida de comunidades residentes na região do Parque Nacional dos Lençois Maranhenses
Autor(es): Alvaro de Oliveira D'Antona
Palavras-chave [PT]:

Homem - Influencia sobre a natureza , Parques nacionais - Maranhão , Trabalhadores rurais , Pescadores
Titulação: Mestre em Antropologia Social
Banca:
Marcio D'Olne Campos [Orientador]
Daniel Joseph Hogan
Maria Suely Kofes
Resumo:
Resumo: As comunidades dos Lençóis Maranhenses (MA) convivem com as mudanças marcantes dos ritmos naturais e são afetadas pelas transformações causadas pelo turismo, urbanização e pesca predatória. Estão também sujeitas à interferência de Unidades de Preservação que se preocupam com ecossistemas, mas parecem desatentas aos habitantes tradicionalmente locais que se sujeitam à degradação e à necessidade de preservação ambiental, embora não as tenham gerado. O modelo de preservação que afasta o ser humano, impede que se conheçam e respeitem os manejos locais, frutos dos saberes locais. Muitas vezes sequer protege os ecossistemas já que as fronteiras dos parques nem sempre são definidas por critérios ecológicos. Propus-me caminhar em direção à compreensão do modo de vida nos "Lençóis Maranhenses", através das relações dos indivíduos com a natureza, buscando conhecer as noções locais de degradação / preservação ambiental e criticar a delimitação do Parque Nacional existente ali. A análise privilegia os diversos níveis de interação do ser humano com seu meio (produção, moradia, técnicas, concepções) levando em conta noções de tempo, espaço e lugar. Também considera o uso de recursos e o modo como as várias comunidades se representam e se organizam no espaço; o que revela a importância dos deslocamentos de pessoas e coisas para a compreensão da dinâmica da região e para expor a fragilidade da fronteira da unidade de conservação

Abstract: Communities at Lençóis Maranhenses (MA) live along marked changes they easily erceive in the rhythms of nature. They are submitted to present impacts caused by tourism, urbanisation and predatory fishing while environmental policies rule upon their natural environment without concem to life and traditions of local inhabitants. These persons, besides suffering from degradation of their habitat, have their lifestyles ruled by conservation policies imposed on them by authorities, although they are generally not responsible for the degradations. Preservation models often do not consider humans and do not respect local knowledge and consequent local management. Frequently such models do not protect ecosystems such as park frontiers that scarcely mean ecological criteria. The purpose of this work is first to understand the way of life of populations in Lençóis Maranhenses. Second we wiIl analyse their relations with Nature and the local notions of degradation / preservation of the environment. Third we will criticise the conservation model of a national park implanted in this studied region. This analysis privileges the diverse levels of interaction of humans with their environment (production, dwelling, techniques, conceptions) as referred to time, space and place. We consider the use of resources by communities as they represent themselves and organise in living space. Intense displacements of peoples and objects help in understanding the dynamics of the territory as well as the fragility of abrupt frontiers commonly established between unities of conservation and the totaUy uncontrolled environment
Data de Defesa: 15-09-1997
Código: vtls000118770
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 1997
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Marcio D'Olne Campos
Instituição: Universidade Estadual de Campinas . Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Nível: Dissertação (mestrado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social

Dono: admin
Criado: 04-06-2008 16:04
Visitas: 1146
Downloads: 63

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
DDocumento PDF10980 Kb(11243147 bytes)5 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download