Consultar: Instituto de Estudos da Linguagem - IEL

Título [Principal]: Repensando o conceito de competencia comunicativa no "aquecimento" da aula de portugues-lingua estrangeira : uma perspectiva estrategica
Autor(es): Elizabeth Maria Fontão do Patrocinio
Palavras-chave [PT]:

Lingua portuguesa - Estudo e ensino - Falantes estrangeiros - Aspectos sociologicos , Ambiente de sala de aula
Área de concentração: Ensino-Aprendizagem de Segunda Língua e Língua Estrangeira
Titulação: Mestre em Linguistica Aplicada
Banca:
Marilda do Couto Cavalcanti [Orientador]
Resumo:
Resumo: Este trabalho focaliza a competência comunicativa partindo da suposição de que o aspecto estratégico não tem espaço na aula de língua estrangeira, embora pudesse favorecer as situações não-previstas que alunos em contexto de imersão enfrentam em suas interações cotidianas. Os registros para a realização deste estudo foram coletados em um curso de português para estrangeiros de uma universidade pública na região sudeste. Os alunos, falantes de diferentes línguas maternas, são profissionais, estudantes ou estagiários em diferentes áreas de interesse. A análise dos dados, que busca os aspectos privilegiados da competência comunicativa no ritual de uma sala de aula, teve como ponto de partida o arcabouço teórico de Canale (1983). Tal arcabouço, entretanto, revelou-se problemático, no decorrer da análise. Primeiro, pela ausência de um componente cognitivo no que o autor cons;i.dera "conhecimentos e habilidades exigidos para a comunicação" em sua definição sobre o conceito; segundo, porque sua concepção sobre cada um dos componentes (gramatical, sociolingüístico, discursivo e estratégico) parece bastante linear. O estratégico, por exemplo, se resume a compensar falhas ou otimizar a produção dos outros três componentes. Buscou-se então em Vygotsky (1991 a,b) uma perspectiva dinâmica para compreender o processo de construção da competência comunicativa em interações mais informais e menos dirigidas, encontradas no "aquecimento" inicial da aula. A visão periférica de estratégias concebida por Canale é contrária à de Vygotsky, que entende o desenvolvimento cognitivo numa relação dialética com o social, relação esta denominada atividade estratégica. A análise dos dados sugere que o fato de o ensino comunicativo, conforme configurado na sala de aula em exame, não considerar a capacidade do aluno para lidar com situações não-previstas está intimamente relacionado à ausência de um tratamento estratégico processual em sala de aula e a uma noção de competência comunicativa idealizada na literatura da área. Sugere também que a competência comunicativa não pode ser tratada isolada dos aspectos sócio-ideológico-culturais que permeiam o contexto imediato das interações.

Abstract: Not informed
Data de Defesa: 17-12-1993
Código: vtls000069851
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 1993
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Marilda do Couto Cavalcanti
Instituição: Universidade Estadual de Campinas . Instituto de Estudos da Linguagem
Nível: Dissertação (mestrado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada

Dono: admin
Criado: 01-09-2008 15:12
Visitas: 1750
Downloads: 57

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Patrocinio, Elizabeth Fontao do.pdfDocumento PDF5055 Kb(5176701 bytes)3 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download