Consultar: Faculdade de Educação - FE

Título [PT]: A organização da escola atual... Por uma falsa inclusão
Autor(es): Paula Valverde Pinhelli
Palavras-chave [PT]:

Trabalho de conclusão de curso, Memorial, Experiência de vida, Prática docente, Formação de professores.
Área de concentração: Programa Especial de Formação de Professores em Exercício
Titulação: Licenciatura em Pedagogia
Resumo:
A escrita desse memorial me remete a um fim e a um (re) começo. O fim de um curso de pedagogia e o (re) começo (uso essa palavra, pois antes de ingressar nessa universidade já havia começado minha prática docente) de fazer valer todas as discussões, leituras, olhares e indagações a respeito da educação, que muito esteve presente durante todo o curso. Nem imaginava que iria me formar nessa universidade. A principio iniciei o curso de pedagogia em uma universidade particular, no ano de 2004, lá cursei apenas dois semestres, em função da oportunidade que tive em prestar o processo seletivo com público alvo professores dos municípios da região metropolitana de Campinas, fui aprovada e (re) iniciei o curso de pedagogia no ano de 2005. Diferente de outros memoriais que começam lembrando de longos tempos de prática docente, o meu não tem essa característica, pois me formei no magistério (Cefam) em 2002. No ano seguinte já tive a oportunidade de trabalhar tanto na rede particular quanto na rede pública. Mesmo assim, esse tempo foi suficiente para pensar em assuntos relevantes sobre a educação, isso ficou mais forte ainda quando ingressei no Proesf. Paralelo a minha não tão grande caminhada docente, estarei usando recortes da minha infância na escola, principalmente na de ensino fundamental pública, já que a educação infantil no início da década de 80 ainda não era um direito da criança, por isso freqüentei apenas a pré-escola em uma instituição privada. Penso em desenvolver esse memorial através de uma discussão que envolva diferentes bibliografias, comparando conceitos, voltando um pouco na história, relembrando memórias enquanto aluna e enquanto professora, enfim será um texto construído diante de teorias e prática. A temática desse memorial estará pautada nas diferentes formas de exclusão presentes no cotidiano escolar, muitas vividas por mim enquanto aluna, outras observadas enquanto professora de rede pública. Dessa forma, a temática exclusão será discutida e analisada em períodos diferentes: a escola permeada por idéias conservadoras X a escola permeada por idéias transformadoras. A escolha dessa temática está sendo pensada através dos inúmeros questionamentos, olhares e reflexões sobre as diferentes formas de exclusão marcadas por práticas escolares e políticas públicas presentes no cotidiano escolar. Dessa forma a discussão será instigada partindo de alguns eixos que nortearão esse processo de exclusão, dentre eles, o currículo – geralmente voltado a conteúdos e objetivos pertencentes à classe dominante, desvalorizando a cultura popular; o tipo de avaliação – caracterizada por práticas discriminatórias e marginalizadas; e por último a própria formação dos professores – marcada por cursos que não se responsabilizam em discutir a real função social que esses deveriam desempenhar. Entender como acontece o processo de exclusão através de uma outra ótica, não protagonizando/culpabilizando os educandos e suas famílias como principais causadores da exclusão, mas abordando as segundas intenções de políticas educacionais que propõem práticas inovadoras, as quais em um primeiro momento aparentam ser inclusivas e interessantes e que na maioria das vezes estão permeadas de valores, ideologias e princípios implícitos que visam um processo de exclusão escolar, marcado posteriormente por uma exclusão social, atendendo conseqüentemente a necessidade de um sistema. Na apresentação faço uma discussão ampla sobre a temática exclusão à luz de alguns autores e práticas vividas por mim enquanto aluna e professora. No capítulo I discuto a função e objetivos da escola desde sua criação, problematizando questões tais como: para quem é feita, para quê, enfim, a organização do espaço e do tempo. Já no capítulo II, analiso as formas de exclusão que aconteciam sob o comando de políticas conservadoras, e atualmente por idéias neo-liberais que tendem a não excluir o aluno fisicamente e moralmente, mas através de práticas mais sofisticadas, como elemento central, estará a avaliação, discutida e pautada em teorias e principalmente em relatos e recortes do ensino fundamental vividos por mim. No capítulo III, apresento outras formas de exclusão que acontecem atualmente, ancoradas por currículos que tendem a não incluir alunos de classes subalternas, os quais acabam delicadamente expulsando-os do espaço escolar. O capítulo IV abordo a formação de professores, elemento que de forma implícita ou explícita contribui para que aconteça o processo de exclusão/inclusão. Esse é um elemento ambíguo, pois ao mesmo tempo que pode servir como manutenção do poder da classe dominante, através de cursos passivos, também pode servir como ferramenta para entender melhor o que está por trás desses outros elementos (organização do espaço, currículo e avaliação) através de uma formação crítica e reflexiva. No decorrer dos capítulos também serão abordadas possibilidades e perspectivas para que aconteça uma educação includente e de qualidade.
Descrição:
Memorial apresentado ao Curso de Pedagogia – Programa Especial de
Formação de Professores em Exercício nos Municípios da Região Metropolitana de Campinas, da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, como um dos pré-requisitos para conclusão da Licenciatura em Pedagogia.
Código: 41221
Informações adicionais:
Formandos 2008 - Turma E
CDD - 370.92

Dono: admin
Criado: 01-09-2010 14:11
Visitas: 998
Downloads: 1086

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Pinhelli_PaulaValverde_TCC.pdfDocumento PDF439 Kb(449573 bytes)1 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download