Consultar: Faculdade de Educação - FE

Titulo Principal: As relações em busca da leveza do ser resgatando o espaço da fala
Autor(es):

Ana Sílvia Frutuoso Costa
Palavras-chave [PT]:
Trabalho de conclusão de curso, Memorial, Experiência de vida, Prática docente, Formação de professores.
Área de concentração: Programa Especial de Formação de Professores em Exercício
Titulação: Licenciatura em Pedagogia
Resumo:
“Aprender é muito mais que acumular informações é gerenciá-las nas situações cotidianas com criatividade fazendo do novo, construção constante. Ensinar é propiciar a transmutação do conhecimento em crescimento humano. E estabelecer relações, é o vir a ser pela troca em comunicação com o mundo”. (S.R; 2006) Foi com imenso prazer que decidi o tema do meu memorial; “As relações”, em busca desta leveza de poder ser ‘quem se é. Depois de uma considerável revolta pôr não desenvolver um TCC, e não gostar da idéia de estar sendo material de estudo da Faculdade. As colegas de turma são testemunhas deste processo de aceitação. À possibilidade de relatar o que não pode ser dito, discutido, tanto na infância como no próprio curso, passou a ser um desafio. Principalmente, quando foi sugerido, na primeira correção deste trabalho, que pulasse esta parte. Não dá para deixar de comentar porque foi uma transição muito importante. Passar a ver esta oportunidade de ser objeto de reflexão; a minha trajetória escolar, fez parte de um processo de reconhecimento do próprio curso e sua relevância histórica - social dentro da política educacional. Cada registro elaborado por mim, pelas colegas traz um olhar a ser refletido para a compreensão do próprio processo de aprendizagem nas das relações explícitas ou implícitas, da convivência acadêmica, com a relação profissional e pessoal, frente ao mundo que nos cerca. A abordagem que apresento me seduziu. É a oportunidade de refletir do ponto de vista de educadora a Educação que permeou a minha infância e que ainda está presente na vivência de muitas crianças, inclusive dos meus filhos.Com uma diferença significativa e uma vantagem enorme em seu favor: as crianças, de hoje, tem uma força de expressão fantástica, crítica e determinada. São verdadeiros mestres com os quais a nossa geração deveria estar aprendendo muito, sobre si próprio. Dar aula depois de viver um processo educacional repressivo, num momento histórico social de questionamentos e idéias progressistas foi um excelente exercício para o amadurecimento da minha alma. Depois de muita repressão, e um movimento interno de resistência, que me deu muita força de vontade contra acomodação e a domesticação do meu pensar, sentir e agir. Agora, estou muito feliz com o ser humano que estou vivenciando. Foram muitas vivências onde tudo que eu acreditava precisou ser repensado e muito conhecimento e autoridade precisaram ser questionados, para que eu pudesse preservar minha integridade filosófica e a vida dos meus filhos. A saúde e a felicidade são metas da alma humana que devem estar presente nos objetivos pedagógicos. Não e romantismo, é vital!A relação entre o conhecimento e a espiritualidade humana traz para a sala de aula um diálogo mais solidário, muito mais preenchido de significado. A educação contemporânea se propõe oferecer ao aluno; relações com o saber mais significativas para ele. A constante reflexão, do ambiente escolar, as observações em sala de aula e o exercício fantástico de professora - aluna de um lado e Diretora de Departamento do outro. Com toda gama de relações nascidas dos papéis sociais que nos atribuem. Trouxe-me o objetivo profissional de questionar a dificuldade da Educação em trabalhar com a “liberdade humana” como em exemplos de sucesso; a “Escola da Ponte” ou como na Pedagogia Waldorf, que tem como meta a coerência social. Alcançando a disciplina pelo compromisso e pela solidariedade. Valores que construímos pelo exercício constante de praticá-los e observá-los em prática. Freire, em Pedagogia do oprimido-1981, alerta a importância deste fazer; “Para dominar, o dominador não tem outro caminho senão negar as massas populares a práxis verdadeira”. Colocando o dialogo e a reflexão, como arma contra “absolutização da ignorância”. Muito mais real e presente do que imaginamos , em nosso cotidiano. Vejo este objetivo colhendo resultados pelas salas que lecionei, em meus filhos e na relação com os colegas de profissão. Recentemente na entrega de um trabalho a AP comentou que em meu texto reconhecia minha fala, demostrando coerência. Isto me deixou muito satisfeita, reflete meu compromisso com meus ideais. Acredito ser esta a relação almejada entre nossos aspectos pessoais em contrapartida com os profissionais; “a relação de coerência entre a fala e a ação”. As relações “pais- filhos, professor - alunos, espaço escolar- currículo, avaliação – desempenho” estão em processo de transformação histórico- social. Nossa geração está construindo os referenciais para a nova geração que efetivara a mudança progressivamente. Existe um processo de auto- sabotagem da instalação da Democracia participativa, pêlos próprios agentes educacionais, que omitem posturas políticas pôr inconsciência, despreparo e inconsistência de fundamentos, preservando o sistema. E, simultaneamente, um processo de resistência social para a transgressão do poder. Dialética que nos impulsiona em movimentos sociais concêntricos de transformação, a meu ver, evoluindo. A compreensão da natureza humana e sua capacidade mais expressiva; o pensar nos remete a buscar na atitude reflexiva, caminhos criativos para dar conta dos nossos anseios pessoais protagonizados no social. A teoria aliada à vida, como em nosso caso, educadores, possibilita trilhar processos efetivos de mudança. É este caminho de construção do meu saber que tenho a intenção de demostrar nestas folhas dialogando com as experiências da minha infância e as da sala de aula, entre os teóricos que preencheram minha alma de muitos questionamentos. - “Tudo pode ser mudado, mas nada será mudado até que se comece”. - T.S.Eliot.
Data de Defesa: 2005
Descrição:
Memorial apresentado ao Curso de Pedagogia – Programa Especial de
Formação de Professores em Exercício nos Municípios da Região Metropolitana de Campinas, da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, como um dos pré-requisitos para conclusão da Licenciatura em Pedagogia.
Código: 20860
Informações adicionais:
Formandos 2005 - Turma I
CDD - 370.92

Dono: admin
Criado: 02-05-2007 13:07
Visitas: 1122
Downloads: 1929

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Costa_AnaSilviaFrutuoso_TCC.pdfDocumento PDF632 Kb(646945 bytes)1 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download