Consultar: Faculdade de Educação - FE

Título [PT]: Simplesmente uma questão de gênero
Autor(es): Marta Freitas Oliveira
Palavras-chave [PT]:

Trabalho de conclusão de curso, Memorial, Experiência de vida, Prática docente, Formação de professores.
Área de concentração: Programa Especial de Formação de Professores em Exercício
Titulação: Licenciatura em Pedagogia
Resumo:
Este presente trabalho tem por objetivo buscar uma reflexão sobre a linguagem escrita a sua função social, e de como esta linguagem influenciou toda a minha formação pessoal e minhas práticas pedagógicas. Paralelamente, busco focar a importância do PROESF – RMC1 que ao criar em mim uma “curiosidade epistemológica” abriu caminho para o meu crescimento profissional e acadêmico. No primeiro capitulo saliento: a minha entrada na escola primaria, minha aquisição da linguagem escrita, meu distúrbio de aprendizagem. Ao escrever sobre estes três pontos busco uma ponte entre a minha formação pessoal e o conhecimento acadêmico por mim adquirido junto ao PROESF – RMC. No segundo capitulo enfatizo a função social da linguagem escrita buscando demonstrar qual é seu real peso em uma sociedade letrada. Abordo este tema com o intuito de evidenciar o quanto distúrbios de aprendizagem nas áreas da leitura e escrita vão dificultar a o desenvolvimento escolar de uma criança. É neste contexto que descrevo, no terceiro capitulo três distúrbios de aprendizagem na área da linguagem escrita. Não tento esgotar, nem mesmo me aprofundar em nem um destes pontos de análise, já que a proposta aqui desenvolvida é a de um memorial de formação e não a de um trabalho de pesquisa. O que busco é trazer à luz de uma analise educacional, pontos que envolva a linguagem escrita e a sua função social, assim como, chamar a atenção de três setores sociais: Acadêmicos, jornalistas, professores universitários. Setores que através de um trabalho consciente podem atuar de forma a facilitar a aprendizagem de portadores de disortografia. Primeiro lugar dos acadêmicos de várias áreas para possíveis pesquisas sobre a real incidência de casos de disortografia na população escolar. Em segundo lugar dos jornalistas que atuem no campo da educação, pois, em minhas pesquisas não pude localizar nem uma reportagem, nas revistas especializadas em educação, que abordassem disortografia, seus sintomas e as suas conseqüências no desenvolvimento da aprendizagem de seus portadores, o que de vital importância para que educadores, principalmente os das primeiras séries do ensino fundamental, sejam conscientizados de que alunos que apresentam dificuldades ortográficas podem serem ou não disortograficos. Em terceiro lugar dos professores universitários que atual em disciplinas de educação especial em cursos tais como os pedagogia e normal superior, para que distúrbios com dislexia, disgrafia e disortografia sejam abordados em suas ementas, já que apesar de ter tido, no curso do PROESF-RMC, disciplinas que falecem de inclusão e educação especial, não houve estudo que focassem de forma efetiva distúrbios de aprendizagem. O que me causou ser grau de admiração, já que a dislexia foi simplesmente citada com um distúrbio leve, sendo que a disgrafia e a disortografia não foram nem mesmo citadas. Acredito que a dislexia, a disgrafia e a disortografia sejam distúrbios leves, porém um grande percentual da população mundial, de dez a quinze porcento, sofre de dislexia. Em uma sala de aula com trinta e cinco alunos, de três a cinco discentes em média são dislexos. Outros tantos poderão serem disortograficos. Cabe, a nós educadores, desenvolver um trabalho diferenciado com estes alunos para eles possam alcançar o desenvolvimento pleno de suas capacidades físicas e intelectuais.
Data de Defesa: 2005
Descrição:
Memorial apresentado ao Curso de Pedagogia – Programa Especial de
Formação de Professores em Exercício nos Municípios da Região Metropolitana de Campinas, da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, como um dos pré-requisitos para conclusão da Licenciatura em Pedagogia.
Código: 20784
Informações adicionais:
Formandos 2005 - Turma G
CDD - 370.92

Dono: admin
Criado: 26-04-2007 13:13
Visitas: 790
Downloads: 4402

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Oliveira_MartaFreitas_TCC.pdfDocumento PDF478 Kb(488989 bytes)1 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download