Consultar: Faculdade de Educação - FE

Titulo Principal: Afetividade : a importância afetiva no processo de ensino - aprendizagem
Autor(es):

Roseli Aparecida Afonso
Palavras-chave [PT]:
Trabalho de conclusão de curso, Memorial, Experiência de vida, Prática docente, Formação de professores.
Área de concentração: Programa Especial de Formação de Professores em Exercício
Titulação: Licenciatura em Pedagogia
Resumo:
Inicio meu memorial enfatizando o tema escolhido por mim abordando a importância da relação afetiva no processo ensino-aprendizagem entre professor e aluno. Este tema foi escolhido por ser muito marcante em minha vida escolar e pessoal, pois a afetividade abrange a todos como indivíduos. Para tanto relatarei em breves palavras um pouco de minha vida escolar . Nos meus primeiros anos de escola não encontrei professores que demonstravam afetividade com a sala de aula, pois mantinham uma distância entre eles e nós alunos. Lembro-me que em minha primeira série estudava em uma escola pequena de uma cidade do interior paulista chamada Pindorama, tudo era tranqüilo, minha professora até que era calma, mas na metade do ano precisei me mudar por motivo de trabalho de meu pai, para uma cidade do interior também chamada Taquaritinga. Foi então que conheci a indiferença de uma professora não só comigo, mas com toda classe, quando seus gritos não resolviam o problema da sala ela resolvia usar a régua da lousa. Foram meses de tensão, mas algo se acendeu em mim naquela época. Decidi que iria ser professora, mas não queria seguir o exemplo de minha professora. Esta não me deixou saudade pois nem seu nome me lembro. Pena que não a esqueci completamente, pois não tinha nenhum vinculo afetivo algum com ela. Com o passar dos anos meu desejo de ser professora foi aumentando, até então me ver cursando o tão sonhado Magistério. Foram quatro anos de dedicação para o curso e em 1988 ao término desses quatro anos meu sonho se tornou realidade. Hoje tenho dezessete anos de carreira, ainda tenho muitos sonhos para serem conquistados, sempre busco me aperfeiçoar e por esse motivo estou hoje cursando Pedagogia pela UNICAMP-PROESF (Programa Especial de Formação de Professores em Exercício da Região Metropolitana de Campinas). O tema que escolhi envolve a parte afetiva do comportamento humano. Sendo feitas várias interpretação sobre esse tema e com isso acarretando modificações na Psicologia, seja na área de produção científica ou na área de diversas práticas profissionais. Vygotsky (1989) enfatizou em seus estudos que: " No estreito entrelaçamento entre afetividade e cognição as conquistas são utilizadas no plano cognitivo e afetivo. Denuncia que a separação desses dois aspectos enquanto objetos de estudos, é uma das principais deficiências da psicologia tradicional, uma vez que apresenta o processo de pensamento como um fluxo autônomo de pensamentos que pensam a si próprios, dissociados da plenitude da vida, das necessidades pessoais, das inclinações e dos impulsos daqueles que pensam. (p.85 ) " Isto vem fazer com que voltemos nossa atenção para a área da educação, pois antigamente se tinha uma visão de que a aprendizagem era social, mas, com embasamento nos estudos sobre a afetividade volta-se o olhar para nossas práticas pedagógicas. Portanto, a afetividade é usada com uma significação mais ampla, isto é, ela se refere a vivência do indivíduo e suas formas de expressão. Moreno ( 2002 ), nos diz que: "Os componentes afetivos estão no núcleo do desenvolvimento intelectual e social das crianças e os afetos são também uma parte importante do meio. O conhecimento do meio deve proporcionar ao alunado um conhecimento de saberes que permita conhecer-se a si mesmo e conhecer a realidade física e humana do ambiente em que vive. (p.24)" 9 A emoção é o primeiro e mais forte vínculo entre os indivíduos, através dela você pode observar o gestos, a mímica, o olhar, a expressão facial, e sendo assim, levo para dentro de minha sala de aula a observação de meus alunos através da parte afetiva, busco sempre no primeiro contato com as crianças conquistar seu lado afetivo. Pois quando se tem uma ligação nesta parte conseguimos um desempenho muito melhor da criança. Assim que consigo esse vínculo afetivo com meu aluno, consigo que ele tenha um desempenho social com seus amigos de sala, e também facilita no trabalho das disciplinas que iremos desenvolver durante o ano letivo, pois a criança ao se sentir segura tanto com o professor como com seus colegas ela consegue expor suas vivências. Com isso tenho um campo de exploração muito maior do que poderia retirar dos livros, pois nossas crianças trazem consigo uma bagagem muito diversificada. Através da afetividade, sendo trabalhada o tempo todo em sala de aula e criado o vínculo com o aluno, fica bem mais fácil o convívio com seus colegas, pois sua vida social fica também mais calma, a agressividade é bem mais controlada e isso facilita também para mim, consigo um trabalho muito mais satisfatório do que antes. Em meu trabalho dentro de minha sala de aula busco desenvolver as atividades de maneira clara. Como a faixa etária de meus alunos é de 4 a 6 anos as atividades desenvolvidas tem que ser primeiramente trabalhada na prática, ou seja, fora de sala de aula, através de uma atividade corporal ou pesquisa na própria natureza, dependendo o tema a ser trabalhado, busco desenvolver as atividades que irão despertar sua curiosidade. Também dar gosto ao aluno para descobrir sempre mais, pois crianças nessa faixa etária dispersam muito facilmente, quando a maneira como está sendo trabalhado o tema não chama sua atenção e nem sua curiosidade e interesse. Sinto-me realizada quando vejo a participação de meus alunos nas atividades e seus depoimentos, buscando em sua vivência experiências que sejam parecidas ou até mesmo iguais aquilo que estamos estudando. Isto só vem a reforçar o estudo feito em cima do tema afetividade, pois o indivíduo(criança) busca em seu viver suas experiências e as leva para dentro de sala dividindo com seus colegas tudo aquilo que lhe é importante de seu aprendizado. Assim sendo, vejo meus pequenos aprendizes caminhando para uma interação social, uma vida em comunidade. Esta comunidade que começa dentro de sua sala de aula e será expandida para sua vida social quando adulto. Procurarei abordar em meu memorial o que diz respeito à cognição, afetividade e desenvolvimento humano, ou seja, como a escola contempla a relação entre afetividade e cognição, emoção e razão. Escreverei também sobre o papel que o professor desempenha no desenvolvimento afetivo e cognitivo do aluno, pois a sociedade tende a separar os aspectos cognitivos dos afetivos, como se o homem fosse um ser isolado e programado para pensar, agir e sentir conforme os padrões convencionais. Para dar embasamento ao aspecto afetivo no processo ensino-aprendizagem, serão citadas as contribuições do educador e psicólogo russo Lev Vygotsky (1989), do psicólogo suíço Jean Piaget (1992) e o médico francês Henry Wallon (1978) para a compreensão do termo “afetividade”. Portanto, a parte afetiva e cognitiva caminham sempre juntas, uma dependendo da outra sendo o professor uma peça importante na educação, pois tem como objetivo alcançar o melhor de seus alunos e fazer com que sejam adultos conscientes no amanhã.
Data de Defesa: 2005
Descrição:
Memorial apresentado ao Curso de Pedagogia – Programa Especial de
Formação de Professores em Exercício nos Municípios da Região Metropolitana de Campinas, da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, como um dos pré-requisitos para conclusão da Licenciatura em Pedagogia.
Código: 20769
Informações adicionais:
Formandos 2005 - Turma G
CDD - 370.92

Dono: admin
Criado: 26-04-2007 12:49
Visitas: 1911
Downloads: 12115

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Afonso_RoseliAparecida_TCC.pdfDocumento PDF561 Kb(574118 bytes)1 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download