Consultar: Faculdade de Educação - FE

Titulo Principal: A influência da afetividade no processo ensino - aprendizagem
Autor(es):

Nilcéia Aparecida Coradi Octaviano
Palavras-chave [PT]:
Trabalho de conclusão de curso, Memorial, Experiência de vida, Prática docente, Formação de professores.
Área de concentração: Programa Especial de Formação de Professores em Exercício
Titulação: Licenciatura em Pedagogia
Resumo:
Ao tomar conhecimento, que deveria escrever um Memorial de Formação como trabalho de conclusão de curso, percebi que poderia abordar sobre vários temas, pois o curso nos deu suporte suficiente para isso. No entanto, optei por escrever sobre a influência da afetividade no processo ensino-aprendizagem, que é um tema referente à prática docente e porque com base nas experiências vivenciadas em sala de aula, sempre acreditei que o afeto é muito importante na aprendizagem, principalmente na relação professor-aluno. Esse trabalho é o resultado de algumas inquietações presentes no meu cotidiano escolar, onde tento construir compreensões sobre essas inquietações, estabelecendo uma ponte entre a teoria e a prática, apresento algumas das experiências e reflexões sobre minha prática como educadora e a importância do PROESF para minha formação, tendo como questão o papel do educador, a relação professor – aluno, vista em suas diversas dimensões e a influência da afetividade em todo esse processo. Sou professora atuante há dezesseis anos e o curso foi responsável por muitas mudanças na minha vida, tanto no âmbito profissional como pessoal. Esclareceu muitas dúvidas, trouxe embasamento teórico, muita troca de experiências e reflexões sobre o Sistema Educacional em que estamos inseridos. Sabemos que vivemos num mundo, onde a formação humana deve dar continuidade a uma sociedade cultural e temos que nos adaptar a ela, portanto, a educação não pode ser desligada no contexto histórico. Segundo Durkheim, a história nega a possibilidade de uma educação universal, única e ideal, uma vez que cada sociedade desenvolve uma educação específica, para satisfazer seus fins e a satisfação desses fins fundamenta-se na formação de uma nova geração que perpetue o sistema social tal como ele é. Em suas próprias palavras: “A que pode servir imaginar uma educação que seria a morte da sociedade que a colocasse em prática?” (Durkheim, 1934:40). “O modelo de educação de cada sociedade, em cada uma de suas etapas de desenvolvimento, é determinado pelos costumes e pelas idéias vigentes, e impõe-se aos indivíduos como uma força contra qualquer resistência implica necessariamente uma dissidência”. (Idem, 1934:42). Acredito que o indivíduo só poderá agir na medida em que aprender a conhecer o contexto em que está inserido. Nesse sentido, o PROESF me proporcionou argumentos para que eu possa atuar de maneira crítica diante do que é “imposto” no sentido de atender somente aos interesses da classe dominante, contribuindo apenas para reprodução do sistema. Compreender os fundamentos dos fatos num determinado contexto histórico, faz a diferença para nós educadores, no sentido de encontrarmos embasamento para nossas práticas pedagógicas e foi nesse sentido que o curso mais contribuiu. Pude refletir sobre minha trajetória profissional e muitas das angústias que permeavam minha prática foram elucidadas. De uma simples leitora, tornei-me uma leitora reflexiva, o que me aponta novos sentidos e caminhos. Com essa visão, procuro fazer a “diferença” para os meus alunos, procurando trabalhar com conteúdos significativos e que os levem ao questionamento dos fatos dentro de um contexto social, pois cabe ao educador ser agente da mudança que tanto almeja. Devemos nos voltar para o estudo e compreensão da sociedade para que possamos encontrar a razão de ser de nossas especulações e através da clareza de nossas ações levar o aluno a compreender seu papel no mundo. Nesse sentido Freire argumenta: “O professor que pensa certo deixa transparecer aos educandos que uma das bonitezas de nossa maneira de estar no mundo, como seres históricos, é a capacidade de, intervindo no mundo, conhecer o mundo”. (1996, p. 31). Somente através de uma prática pedagógica consciente e transformadora, podemos “transportar” nosso aluno para além da sala de aula, fazendo com que se sinta parte integrante da sociedade, interagindo de maneira consciente. Acredito que na afetividade, a relação professor – aluno pode contribuir para que o educando compreenda seu papel no “mundo”. Ao meu ver, esse aspecto é fundamental para que se alcance os objetivos visados no processo de ensino – aprendizagem, pois sempre acreditei que o afeto é muito importante na relação professor - aluno. Para mim é evidente que a existência de um vínculo afetivo, marca a sala de aula como um espaço em que aprendizagem, descontração e cooperação andam juntas. Portanto, durante a elaboração do trabalho, no decorrer dos capítulos, procuro enfatizar a importância de um ambiente afetivo no processo pedagógico para o pleno desenvolvimento do aluno. Redigi os capítulos, baseada em algumas experiências pessoais, alguns fatos ocorridos durante meu processo de alfabetização, na minha formação inicial no Magistério, aseando-me em experiências com algumas turmas com as quais trabalhei, comparando-as com a minha prática atual, embasada teoricamente pelas bibliografias estudadas e indicadas pela Universidade. Organizei no capítulo um, a importância do papel que alguns professores tiveram na minha formação e faço algumas reflexões sobre o papel do professor, como um ser pontextualizado. Durante o PROESF, foi possível compreender e relacionar todo o processo histórico do Sistema Educacional e o papel do professor na sociedade. Vale lembrar que o professor é, no processo educativo, o elemento que tem mais oportunidade de se relacionar com o educando, possibilitando ou não a formação de um aluno pensante, reflexivo e de postura crítica. Já no capítulo dois, escrevo sobre a relação professor - aluno que é fundamental e deixa marcas no indivíduo por grande parte de sua existência, por isso há necessidade de resgatá-la, compreendê-la e redimensioná-la. Além do aspecto cognitivo na interação professor-aluno, sabe-se que as condições organizativas do trabalho docente envolvem as formas de comunicação, os aspectos afetivos e sócio-emocionais, a dinâmica das manifestações na sala de aula ao lado de outras que já são de conhecimento de todos que atuam nessa área. No capítulo três, apresento a questão da afetividade em sala de aula, as condições de ensino e a mediação do professor. Essas questões são bastante discutidas nas reuniões pedagógicas da escola onde trabalho, no sentido de buscar caminhos para os diversos problemas que enfrentamos com nossos alunos no cotidiano escolar e que na maioria das vezes não conseguimos resolvê-los, principalmente os distúrbios disciplinares, um dos maiores obstáculos pedagógicos dos dias atuais. Cada vez mais é delegada aos professores toda a responsabilidade da educação da criança. Acredito, baseada em Perrenoud, numa verdadeira negociação entre professor e aluno, no sentido de amenizar as questões de indisciplina e despertar o interesse pelo aprender. Esse autor estudado na Universidade, me confirmou a importância da afetividade. Segundo ele, a relação com o saber pode ser redefinida na classe, graças a uma verdadeira negociação entre professor e alunos, o que requer do professor à vontade de ouvi-los, de ajudá-los a formular seus pensamentos e de ouvir suas declarações. A competência e a vontade de desenvolver o desejo de saber e a decisão de aprender nos alunos encontram-se no centro do ofício do professor, isto é, de envolver os alunos em suas aprendizagens e em seu trabalho (PERRENOUD, 2000). No capítulo quatro, faço uma síntese sobre o PROESF, sintetizando um pouco do que a vivência, durante esses semestres, me proporcionou e as experiências pedagógicas e afetivas que acrescentaram, tanto no meu âmbito pessoal como profissional. Concluo o trabalho apresentando algumas conclusões sobre a trajetória de minha formação na Universidade, sobre o papel do educador e a importância da afetividade na relação professor - aluno. A decisão de iniciar o trabalho refletindo sobre o papel do educador, foi na intenção de situar o leitor sobre a importância que o professor tem na vida do aluno, já que todo meu trabalho baseia-se na influência da afetividade no processo de ensino- aprendizagem.
Data de Defesa: 2005
Descrição:
Memorial apresentado ao Curso de Pedagogia – Programa Especial de
Formação de Professores em Exercício nos Municípios da Região Metropolitana de Campinas, da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, como um dos pré-requisitos para conclusão da Licenciatura em Pedagogia.
Código: 20764
Informações adicionais:
Formandos 2005 - Turma F
CDD - 370.92

Dono: admin
Criado: 26-04-2007 11:29
Visitas: 1484
Downloads: 3342

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Octaviano_NilceiaAparecidaCoradi_TCC .pdfDocumento PDF120 Kb(123276 bytes)1 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download