Consultar: Estudos da Linguagem - IEL

Título [PT]: Corpo, linguagem e diversidade: performando a violência contra a mulher a partir de discursos femininos e feministas sob a perspectiva sociossemiótica
Autor(es): Luisa Ghidotti Souza
Palavras-chave [PT]:

Linguística Sistêmico Funcional (LSF), Sociossemiótica, Sistema de transitividade, discursos femininos, Multimodalidade, Teoria queer
Palavras-chave [EN]:
Systemic Functional Linguistics (SFL), Social semiosis, Transitivity system, Gender representation, Women discourses, Multimodality, Queer theory
Titulação: Licenciado em Letras – Português
Banca:
Rodrigo Esteves de Lima Lopes [Orientador]
Resumo:
Resumo: Este estudo procura se utilizar da Linguística Sistêmico-Funcional em sua proposta de análise sociossemiótica (CABRAL e FUZER, 2014; HALLYDAY e MATHIESSEN, 2004; LIMA-LOPES, 2005; LIMA-LOPES, 2018; HEBERLE, 2018, entre outros) para analisar quantitativamente discursos femininos produzidos em redes sociais. Esse movimento teórico permite uma percepção qualitativa dos resultados com base filosófica nos atos de fala (BHABHA, 2003; AUSTIN, 1965) e na performatividade do discurso (BUTLER, 2018; SILVA, 2000), sob o enquadramento do Movimento Queer de Butler (BUTLER, 2003; BUTLER, 2018; SALIH, 2015), das teorias da translinguagem e do lugar da enunciação (BHABHA, 2003; MOITA LOPES, 2013; SILVA, 2000). Por concordar com Butler (1993), para quem a mulher ocidental contemporânea é aquela que performa a própria identidade, desconstruindo discursivamente padrões identitários da ordem fálica (BUTLER, 1993), num movimento emergente e necessário de resistência às violências (históricas) contra a mulher (DINIZ, 2013, CORTÊS, 2013), buscaremos analisar a construção discursiva de mulheres em sua existência em comunidades online a partir de textos multimodais (BUZATO, 2007) que tematizam as diversas formas de violência contra a mulher, como regulamentadas pela Lei Maria da Penha. A coleta dos dados é feita durante o uso cotidiano da ferramenta Facebook com suporte do software Diigo. Foi escolhida essa rede social pelo seu caráter público e pelo espaço multimodal que oferece à produção textual. As publicações selecionadas são apenas aquelas que seguem a temática que se pretende explorar: violência contra a mulher. Dessa maneira, desenvolve-se um corpus que é um escopo de diversas representações femininas em seus espaços de atuação discursiva e convívio social. Entretanto, para os fins dessa pesquisa, limito-me à um corpus formado a partir de apenas uma publicação e seus comentários, de maneira a conseguir ilustrar o movimento de análise amparado pelos fundamentos teóricos que compõem a argumentação. Após a seleção e tratamento do corpus são classificados os elementos das orações com base no sistema de transitividade da Linguística Sistêmico-Funcional (LSF), teoria que compõe a Sociossemiótica e busca observar os elementos oracionais na maneira em que se relacionam sistematicamente para formar uma figura/representação. Assim, o segundo passo para realização da pesquisa seria definir os processos, participantes e circunstâncias que são considera dos para classificar o corpus e quantificar as ocorrências, separando os textos do corpus em orações, para depois classificar seus elementos. Esta análise quantitativa funciona como um trabalho piloto e oferece um resultado ilustrativo para o que poderá ser possível concluir com a análise de um corpus mais extenso. A análise exibirá um número de ocorrências de usos dos elementos nominais e dos processos, verificando as combinações dos elementos (em suas funções) empregados pelas usuárias das redes sociais nas discussões sobre gênero. A verificação dos usos das funções e significações nos enunciados permitirá entender um padrão representacional presente nos discursos femininos que refletem como este gênero coloca-se socialmente (e discursivamente) a partir de uma perspectiva interna, ou seja, as mulheres construindo suas próprias representações.

Abstract: This paper uses the Systemic Functional Linguistics and its propositions about sossiossemiotics analysis CABRAL e FUZER, 2014; HALLYDAY e MATHIESSEN, 2004; LIMA-LOPES, 2005; LIMA-LOPES, 2018; HEBERLE, 2018, and others) to analyze quantitatively women’s dircourses produced on social medias. This theoretical movement provides a qualitative perception of the results, philosophicaly embased on speech act theory (BHABHA, 2003; AUSTIN, 1965) and speech’s performativity (BUTLER, 2018; SILVA, 2000), under the framework of Butler’s Queer Movement (BUTLER, 2003; BUTLER, 2018; SALIH, 2015), translanguaging theories and space enunciation (BHABHA, 2003; MOITA LOPES, 2013; SILVA, 2000). Agreeing with Butler (1993), whom discusses that contemporary western women perform their own identity, desconstructing discursively identitary patterns on phallic order (BUTLER, 1993), in an emergent and necessary movement of resistance to (historical) violence against woman (DINIZ, 2013, CORTÊS, 2013), we aim to analyze the discursive construction of women in their presence on online communities stem from multimodal texts (BUZATO, 2007) which bring as topic the diverse types of violence against woman, as regulated by Maria da Penha Law. The data is collected during the daily use of Facebook application with the support of the software Diigo. This social media has been chosen because of its public feature and the multimodal space it offers to textual production. The publications selected are only those that follow themes we intend to explore: violence against woman. Therefore, it is constructed a corpus which can be a scope of diverse women representations in their discursive action and social interaction space. However, for the purposes of this research, the formed corpus is delimited to only one publication and its comments, aiming to illustrate the analysis’ movement sustained by the theoretical foundations which composes the arguments. After the corpus selection and treatment, the elements of the clause are classified based on the Systemic Functional Linguistic’s (SFL) transitivity system, theory which composes the social semiotics and pursues to observe the clause elements through the way they systematically are related to produce one’s figure/representation. Thereby, the second step to execute this research is to define the process, participants and circumstances considered to classify the corpus and quantify the occurrences, isolating the sentences from the texts, and then classifying its elements. This analysis serves as a pilot work and offers an illustrative result for what can become possible to conclude with the analysis of an extended corpus. The analysis will show several occurrences of nominal elements and processes uses, verifying the elements combinations (in their functions) applied by the social media users around gender discussions. The observation of functions and significations uses on speeches’ statements allows the understanding of a representational pattern present on women discourses that reflect how this gender places itself socially (and discursively) from an intern perspective, in other words, the women constructing their own representations.
Data de Defesa: 2019
Código: 109924

Dono: iel_ar
Criado: 09-07-2020 17:18
Visitas: 23
Downloads: 9

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Souza, Luisa Ghidotti.pdfDocumento PDF2405 Kb(2462515 bytes)2 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download