Consultar: Estudos da Linguagem - IEL

Título [PT]: Lavando calcinha: uma análise discursiva da música “meu namorado é mó otário” de MC Carol
Autor(es): Juliana Francisco Pereira
Palavras-chave [PT]:

Calcinha, Discurso, Feminismo
Palavras-chave [EN]:
Panties, Discourse, Feminism
Titulação: Licenciada em Letras – Português
Banca:
Monica Graciela Zoppi Fontana [Orientador]
Resumo:
Resumo: A música “Meu namorado é mó otário”, da cantora e compositora carioca MC Carol, disponibilizada através da plataforma de compartilhamento de vídeos YouTube em 2012, é a canção de maior visualização dentre as músicas da cantora e muito comentada entre internautas. Alguns questionam a cantora por apresentar na letra da música um homem que cumpre tarefas domésticas (lava calcinhas e cozinha) e é qualificado como otário, dizendo que ao fazer isso a cantora se distancia do feminismo; enquanto que outros não veem problemas com a letra da música e elogiam a cantora. Tal impasse, causador de um efeito de contradição, torna-se a motivação para o desenvolver da análise que tem por objetivo entender as relações de dominância em que a discursividade da letra da música se insere e como isso é apresentado mediante memória discursiva. Esses comentários de internautas, que constituem o corpus discursivo, foram observados nas redes sociais Facebook e Twitter por meio de pesquisa com palavras-chave que endereçavam a cantora à música em questão; também foram feitas outras buscas nessas redes sociais para encontrar como eram relacionadas às palavras-chave “lavar cueca” e “lavar calcinha”, a fim de compreender quais eram os efeitos de sentido (PÊCHEUX, 2014) em disputa em cada campo semântico. Se é dado por alguns internautas que a música trata de divisão de tarefas domésticas, mediante memória discursiva (COURTINE, 1999) da ideologia dominante (PÊCHEUX, 2014), a quem é esperado que se cumpra com tais afazeres? Na letra da música “Meu namorado é mó otário” há uma resposta à naturalização da figura feminina representada na formação discursiva dominante (PÊCHEUX, 2014) machista? Em análise foram encontrados indícios de que tanto as tarefas domésticas, de modo geral, como a lavagem de peças íntimas (calcinhas e cuecas) estão diretamente ligadas à figura feminina na memória discursiva da formação discursiva dominante machista, sendo também atravessadas por um recorte de classe, tendo em vista que as mulheres de classe social dominada são responsáveis pela lavagem de suas calcinhas e das calcinhas das mulheres pertencentes a classe social dominante. Portanto, concluímos que as questões que perpassam a letra da música “Meu namorado é mó otário” de MC Carol, ultrapassam a dicotomia colocada por seus ouvintes, de ser ou não uma música feminista, já que, ao se expressar dessa forma, é deixado de lado os efeitos de sentido de lavar calcinha; a posição sujeito da cantora que está inserida em uma formação discursiva feminista que traz os questionamentos próprios de uma ideologia dominada; e a memória discursiva da ideologia dominante. Assim, vemos posições sujeito que apresentam uma ideologia dominante disputando o sentido de feminismo com posições sujeito (PÊCHEUX, 2014) que apresentam uma ideologia dominada (PÊCHEUX, 2014); o que acontece em uma formação discursiva heterogênea (COURTINE, 2014).

Abstract: The song "Meu namorado é mó otário", by the singer and songwriter from Rio de Janeiro, MC Carol, available through the YouTube video sharing platform in 2012, is the most viewed song among all the singer’s musics and it is highly commented among the netizens. Some people object the singer because she presents in the lyrics of the song a man who does household chores (washes panties and cooks) and is also qualify as an “asshole”, affirming that doing this the singer distances herself from feminism; while others do not see any problem with the lyrics and flatter her. This deadlock provokes a contradiction effect, that becomes a motive to develop this analyses which has the objective to comprehend the dominance relations in which the discursiveness of the lyrics is inserted and how this is presented through discursive memory. These comments made by netizens, which constitute the discursive corpus, were observed in the social medias Facebook and Twitter, through a research using key words that addressed the singer to this song; other searches were also done in these same social medias to find out how key words such as “lavar cueca” (wash underpants) and “lavar calcinha” (wash panties) were related, in order to understand which were the meaning effects (PÊCHEUX, 2014) battling in each semantic field. If some netizens believe the song is about the division of household chores, through the discursive memory (COURTINE, 1999) of the dominant ideology (PÊCHEUX, 2014),to whom is expected to do these tasks? In the lyrics of the song “Meu namorado é mó otário” is there an answer to the naturalization of the female figure represented in the male chauvinist dominant discursive formation (PÊCHEUX, 2014)? In the analysis, indication was found that both household chores, in general, and washing underwear (panties and underpants) are directly linked to the female figure in the discursive memory of male chauvinist discursive formation, which are also penetrate by a social class section, since women who belong to a socially dominated class are responsible for washing both their own panties and also the ones which belong to women that comes from the dominant social class. Therefore, we conclude that the questions which permeate the lyric of MC Carol's song "Meu namorado é mó otário" exceed the dichotomy placed by its listeners, whether or not it is a feminist song, since, when expressed in this way, the meanings effects of washing panties are left aside; and also the singer’s subject position that is incorporated in a feminist discursive formation that highlights specific objections of the dominated ideology. Thereby, we see that subject positions which presents a dominant ideology are competing for the feminism meaning with subject positions (PÊCHEUX, 2014) which presents a dominated ideology (PÊCHEUX, 2014); what happens in a heterogeneous discursive formation (COURTINE, 2014).
Data de Defesa: 2018
Código: 108381

Dono: admin
Criado: 29-03-2019 11:14
Visitas: 350
Downloads: 642

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Pereira, Juliana Francisco.pdfDocumento PDF1110 Kb(1136952 bytes)1 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download