Consultar: Faculdade de Educação Física - FEF

Título [Principal]: Adaptação do handebol para a prática em cadeira de rodas
Título [Outro Idioma]: Handball adaptation for wheelchair practice
Autor(es): Decio Roberto Calegari
Palavras-chave [PT]:

Esporte adaptado , Handbal em cadeira de rodas , Deficiencia fisica
Palavras-chave [EN]:
Adapted sport , Wheelchair team handball , Physical disability ,
Área de concentração: Atividade Física, Adaptação e Saúde
Titulação: Doutor em Educação Física
Banca:
Paulo Ferreira de Araújo [Orientador]
Pedro Jorge Richheimer Marta
Edison Duarte
José Irineu Gorla
Alberto Martins Costa
Resumo:
Resumo: Este estudo teve por objetivo estabelecer parâmetros que permitissem adaptar a prática do Handebol para Cadeira de Rodas (HCR), desenvolvendo uma modalidade capaz de integrar deficientes à vida social, tendo sido construído em três etapas distintas, porém complementares. Inicialmente foi realizada uma pesquisa histórica, que serviu de fundamento para a discussão dos aspectos organizacionais da adaptação do Handebol para a prática em Cadeira de Rodas (HCR). Na segunda etapa, fundamentadas na metodologia da pesquisa-ação foram realizadas observações em competições e treinamentos para a identificação dos fundamentos técnicos e táticos do HCR. A terceira etapa implicou na coleta de dados de desempenho em competição que permitiram avaliar o volume de jogo dos atletas e classificá-los de acordo com seu nível de mobilidade, utilizando-se estatística descritiva para análise dos dados. A proposta de adaptação das regras possibilitou a criação de duas modalidades: o HCR7, que adapta as regras do Handebol de Salão para o jogo em Cadeira de Rodas, priorizando a inclusão, e o HCR4, que adapta as regras do Handebol de Areia, privilegiando a plasticidade do jogo, tornando-o agradável e atraente para público e mídia. No âmbito dos fundamentos técnicos (capítulo 3) a principal alteração que se observa é a necessidade de domínio do manejo da cadeira, elemento fundamental para o bom desempenho no jogo, sendo possível ainda identificar os seguintes fundamentos técnicos: passe e recepção, condução e controle da bola (inclusive fintas), lançamentos ou arremessos, bloqueio ofensivo e bloqueio defensivo. No que diz respeito aos elementos táticos (capítulo 4) do jogo de HCR7 as estratégias adotadas estão tomando por base as existentes no Handebol, com defesas individuais (quadra inteira, meia quadra, pressão e interceptação), por zona (3:3, 5:1, 4:2, 3:2:1 e 6:0) e mistas (5+1, 4+2, 3+3). Já o desenvolvimento tático do HCR4 está sendo construído de forma original e como a quantidade de competições ainda é pequena não foi possível estabelecer estratégias táticas pré-definidas em relação a esta modalidade. Os jogos realizados permitem inferir que a liberação para qualquer atleta de quadra ser o goleiro amplia sobremaneira as alternativas táticas do jogo. A Classificação Funcional (capítulo 5), elemento democratizador da prática esportiva para deficientes, tem por objetivo equilibrar as condições de competitividade entre equipes de deficientes, possibilitando tornar elegíveis para a prática de esportes em cadeira de rodas deficientes que não são obrigados a permanecer na cadeira o tempo todo (amputados, sequelados de poliomielite, entre outros). O capítulo 6 foi destinado à discussão da relação entre fundamentos técnicos e táticos e desempenho em competição, levando em consideração a classificação funcional. Um instrumento de coleta de dados - scout - foi criado e permitiu quantificar o desempenho dos atletas durante a disputa do 1º Campeonato Brasileiro de HCR, realizado em Toledo/PR, no mês de agosto de 2009. O Handebol em Cadeira de Rodas vem se constituindo numa alternativa eficaz de prática desportiva para a pessoa com deficiência, principalmente por atender a um grupo que tem dificuldades para jogar basquete, porém não possui comprometimento suficiente para praticar o rugbi, que somada à facilidade de aprendizagem transformam o Handebol em Cadeira de Rodas numa nova e atrativa opção de prática coletiva de Esporte Adaptado para pessoas com deficiência

Abstract: This study intends to establish parameters to allow the adjustment of handball practice to wheelchairs (Whellchair Handball - WCH), developing a modality that integrates disability people to social life. The work was built in three different but complimentary phases. At first, a historical research was the basis to discuss organizational aspects of the adaptation of the practice of handball to wheelchairs. On a second phase, the method of action-research was adopted in competitions and trainings, with the purpose of observation and identification of technical and tactical fundaments of the modality. The third stage of the study constituted in the utilization of the collected data, about the competition performance of athletes, to evaluate the volume of game of the athletes and classify them according to the level of mobility, using descriptive statistic for the analysis. The proposal of adaptation of rules allowed the creation of two modalities: WCH 7, that utilizes as basis the rules of Court Handball, and priories the inclusion of disabilities; and WCH 4, which adapts the rules of Beach Handball, and focuses on the plasticity of the game, making it attractive to the audience and media. In the field of technical fundaments (chapter 3), the main adaptation observed, in comparison to regular handball, is the necessity of manipulation of the wheelchair, which is a fundamental element to the development of the game. Also, it was possible to notice the technical fundaments of the modality: pass and reception, conduction and control of the ball, throwing, and defensive and offensive block. About the tactical elements (chapter 4) of WCH 7, the strategies are based on Court Handball, with individual defenses, zone defenses (3:3, 5:1, 4:2, 3:2:1 e 6:0) and mixed (5+1, 4+2, 3+3). The tactical development of WCH 4 is original, and, given the small amount of competitions promoted so far, it was not possible to identify tactical strategies for this modality. The games observed for this study show that the deliverance for any player in the team to be the goal keeper increases the tactical alternatives for the modality. The functional classification (chapter 5), on its side, is a democratizing factor of sports practicing for disability people. Its objective is to balance the conditions of competition between two teams, allowing people who do not necessarily need the wheelchair daily to play wheelchair sports (such as amputees, for example). On chapter 6, the relation between technical and tactical aspects and the performance on competition was analyzed, based on the functional classification. An instrument of data collection - scout - was developed specially for this analysis, and it permitted the quantification of many aspects of the game, in the 1st Brazilian Championship of WCH, which took place in Toledo (state of Paraná - Brazil), in august of 2009. In Brazil and other countries, Wheelchair Handball has constituted an effective alternative of sports practice for disability people, especially because it attends a group with specific needs in this matter. These disability have difficulties to play basketball, but are not injured enough to be accepted in a rugby's team. The facilities of learning also contribute to make Wheelchair Handball a new and attractive option of collective practice of adapted sports
Código: 000787594
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 2010
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Paulo Ferreira de Araújo
Instituição: Universidade Estadual de Campinas . Faculdade de Educação Física
Nível: Tese (doutorado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Educação Física

Dono: ti_me
Criado: 25-05-2011 06:21
Visitas: 2848
Downloads: 211

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Calegari, Decio Roberto_D.pdfDocumento PDF1958 Kb(2004907 bytes)1 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download