Consultar: Faculdade de Ciências Médicas - FCM

Título [Principal]: Zinco, anidrase carbonica eritrocitaria e prolactina na insuficiencia renal cronica
Autor(es): Omar Sergio Caticha Alfonso
Palavras-chave [PT]:

Insuficiencia renal cronica
Titulação: Mestre em Medicina
Banca:
Denise Yvonne Janovitz Norato [Orientador]
Resumo:
Resumo: Os níveis séricos de prolactina e zinco, a concentração de hemoglobina e a atividade e concentração total da anidrase carbônica eritrocitária e suas isozimas, foram avaliados em 16 pacientes com IRC em esquema de hemodiálise, sendo comparados com 22 indivíduos normais. Em outros 18 pacientes hemodializados e 18 pessoas normais foram estudados os níveis de zinco intra-leucocitário e de prolactina. Um estudo in vitro avaliou os efeitos do zinco na atividade da anidrase carbônica em 5 indivíduos normais. Os pacientes com IRC apresentaram altos níveis de prolactina e da atividade total da anidrase carbônica eritrocitária, estando baixas a concentração total dessa enzima, das suas principais isozimas, o zinco sérico e intraleucocitário, assim como os níveis de hemoglobina. A atividade total e a concentração da anidrase carbônica eritrocitária, estando baixas a das suas isozimas não se correlacionaram com os níveis de prolactina em nenhum dos dois grupos, com exceção dos níveis de CA II que se correlacionaram à prolactina nas mulheres normais. Já a atividade total dessa enzima apresentou correlação negativa com os níveis de zinco sérico nos pacientes com IRC. Também o zinco sérrico e o intra-leucocitário se correlacionaram negativa e significativamente com os níveis de prolactina nesses pacientes, o que não ocorreu nos indivíduos normais. O experimento in vitro mostrou que concentrações crescentes de zinco acrescentados em hemolisados de individuos normais são capazes de aumentar a atividade da anidrase carbônica eritrocitária ocorrendo inibição da enzima quando se atingem concentrações mais elevadas desse metal. Os nossos resultados, sugerem que a redistribuição do zinco para o compartimento intraeritrocitário leva a um aumento da atividade da anidrase carbônica, não se relacionando a estiologia da hiperprolactinemia da IRC. Entretanto o zinco intra-leucocitário, que representa o status corporal de zinco, esta correlacionado negativamente à prolactina, sugerindo que a depleção corpórea de zinco deve ser importante fator na hiperprolactinemia do urêmico

Abstract: Not informed
Data de Defesa: 24-08-1990
Código: 000026316
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 1990
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Denise Yvonne Janovitz Norato
Instituição: Universidade Estadual de Campinas . Faculdade de Ciências Médicas
Nível: Dissertação (mestrado)
UNICAMP: Programa de Pós-Graduação em Medicina

Dono: ti_me
Criado: 27-04-2009 10:46
Visitas: 1960
Downloads: 21

ArquivoFormatoTamanhoTempo estimado para download
Alfonso, Omar Sergio Caticha.pdfDocumento PDF1268 Kb(1298254 bytes)1 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)Visualizar/Download